custo de vida

Já é mais barato viver em Lisboa

Se for estrangeiro e viver em Lisboa saiba que o custo de vida nesta cidade baixou. A conclusão é do estudo da consultora Mercer que anualmente analisa quais as cidades mais caras para viver num total de 214 espalhadas pelo mundo.

Este ano Lisboa surge na 86.ª posição, tendo caído quatro lugares em relação ao ano anterior, embora se mantenha entre as 100 cidades com o nível de vida mais elevado para expatriados.

“A queda de Lisboa acompanhou genericamente a quebra verificada em outras cidades da área Euro, que viram a sua posição relativa diminuir dada a maior valorização de cidades com moedas mais valorizadas no último ano caso do real, do dólar australiano ou do franco suíço”, explica Tiago Borges ao Dinheiro Vivo. Além disso, reforça o senior associate da Mercer, “os custos com a habitação, que contribuem significativamente para a constituição do índice, tiveram em Lisboa um comportamento de estagnação, ao contrário dos valores do imobiliário em outras geografias.”

A nível europeu, Moscovo é a cidade com o nível de vida mais caro e a quarta a nível mundial, seguida de Genebra (5.ª) e Zurique (8.ª), na Suíça. Milão (25.ª) e Paris (27.ª) caíram dez posições em relação ao ano anterior. Movimento contrário ao ocorrido na cidade de Estocolmo, onde num ano o custo de vida subiu de forma significativa: 37 lugares, classificando-a como a 39.ª cidade mais cara para se viver, devido a uma valorização considerável da moeda local (a coroa) face ao dólar norte-americano, indicador usado pela consultora para definir o custo de vida.

Mas nenhuma cidade suplanta Luanda em termos de custo de vida. Pelo segundo ano consecutivo a capital angolana, onde residem muitos profissionais portugueses, surge no primeiro lugar do ranking da Mercer, seguida de Tóquio (Japão) e Jamena (Chade), na segunda e terceira posição, respectivamente.

No top 10 das cidades mais caras, destaque para a entrada de São Paulo. Esta cidade brasileira salta onze lugares, “conquistando” o 10.º lugar de cidade mais cara do mundo para se viver. No extremo oposto está Karachi, no Paquistão, considerada no ranking da Mercer a cidade com o custo de vida mais barato, ocupando o último lugar da tabela (204.º).

O estudo da Mercer analisa 214 cidades a nível mundial e mede o custo comparativo de mais de 200 produtos em cada local, incluíndo alojamento, transporte, comida, vestuário, artigos domésticos e lazer. O inquérito visa ajudar as empresas multinacionais e governos a determinar as remunerações para os seus colaboradores a trabalhar fora do país.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Página inicial

Paulo Macedo presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos
(Orlando Almeida / Global Imagens)

Centeno dá bónus de 655 297 euros à administração da CGD

Outros conteúdos GMG
Já é mais barato viver em Lisboa