Japão

Japão combate excesso de trabalho com “sexta-feira Premium”

Foto: DR
Foto: DR

Segundo o ministério japonês do Trabalho, em 2015 morreram pelo menos 2300 pessoas por excesso de stress causado pelo trabalho

O governo japonês está a tentar combater as consequências do excesso de trabalho na sociedade. A partir de 24 de fevereiro, os trabalhadores terão direito a sair mais cedo do emprego na última sexta-feira do mês.

O objetivo da medida, que não é vinculativa, é diminuir o grau de stress dos trabalhadores e impulsionar o consumo interno.

O sucesso da medida, que está a ser promovida pelo Ministério do Trabalho, irá depender da adesão dos grupos económicos. Para já, apenas 1300 empresas se comprometeram a adotar a medida.

No Japão são conhecidos vários casos de morte por excesso de trabalho, um fenómeno conhecido por “karoshi”. O último teve lugar há poucos dias, quando uma jovem de 24 anos se suicidou por não aguentar a pressão laboral, depois de ter acumulado 105 horas extra num mês.

Segundo o ministério japonês do Trabalho, em 2015 morreram pelo menos 2300 pessoas por excesso de stress causado pelo trabalho. Os números do Conselho Nacional de Defesa das Vítimas de Karoshi apontam para um número quatro vezes superior.

Esta não é a primeira medida para aliviar o stress dos trabalhadores no Japão. As autoridades já tentaram, por exemplo, obrigar os trabalhadores a tirar todos os dias de férias a que têm direito, visto que normalmente tiram apenas metade, ou apagar as luzes quando acaba a hora de expediente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Japão combate excesso de trabalho com “sexta-feira Premium”