João Almeida: proposta para limitar número de animais é “fascismo higiénico”

ng3092812

O deputado do CDS-PP João Almeida criticou hoje a “proposta técnica” do ministério da Agricultura para limitar o número de cães por apartamento e frisou que a intenção ainda não passou pelo “crivo político” de Assunção Cristas.

“Já perguntei à ministra e ela já respondeu. É uma proposta técnica que ainda não foi avaliada politicamente. Perguntei-lhe nas jornadas [parlamentares conjuntas do PSD e do CDS-PP, que terminaram hoje]. Não passou ainda pelo crivo político”, disse João Almeida, em declarações à Agência Lusa.

Leia também: Cães e gatos em casa? Governo quer limitar número de animais por apartamento

O deputado e porta-voz do CDS-PP tinha escrito na sua página na rede social Facebook que a intenção de “limitar o número de animais por casa é mais um exemplo de fascismo higiénico” e acrescentou que “provavelmente” a medida nunca avançará.

O Público noticia hoje que o Ministério da Agricultura, liderado pela ministra Assunção Cristas, do CDS-PP, apresentou aos parceiros sociais um projeto de Código do Animal de Companhia que inclui, entre outras medidas, a limitação a dois do número de cães por apartamento.

João Almeida insurgiu-se contra este ponto do projeto no Facebook, advogando que “ninguém, muito menos o Estado, tem alguma coisa a ver com o número de animais domésticos que cada um tenha ou queira ter”.

Contactado pela Lusa, João Almeida recusou que a sua posição constitua alguma crítica à ministra Assunção Cristas, frisando que a ideia “não só não partiu da ministra como ainda não foi avaliada nem por ela nem por outro responsável político”.

A atual legislação, de 2003, já estipula um número limite de animais de companhia por apartamento: “até três cães ou quatro gatos adultos por cada fogo, não podendo no total ser excedido o número de quatro animais”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

João Almeida: proposta para limitar número de animais é “fascismo higiénico”