ADSE

João Proença entre candidatos ao conselho de supervisão da ADSE

João Proença

Sindicatos apoiam quatro das sete listas apresentadas e deverão aumentar peso no conselho de supervisão da ADSE

João Proença, antigo secretário-geral da UGT, é um dos sete candidatos ao conselho de supervisão da ADSE, o sistema de saúde dos funcionários e aposentados do Estado. A lista do dirigente socialista é apoiada pela Federação de Sindicatos para a Administração Pública (Fesap).

Além da lista apoiada pela Fesap, regista-se a candidatura de Maria Helena Rodrigues, presidente do Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), de acordo com a edição de quinta-feira do jornal Público. Nota também para uma lista que tem como mandatária Ana Avoila (coordenadora da Frente Comum) e que é constituída por vários dirigentes sindicais.

Existe uma lista com representantes da Associação de Aposentados Pensionistas e Reformados (Apre) e da Associação 30 de junho; outras três candidaturas contam com funcionários e dos municípios de Oeiras e de Penacova.

Como a ADSE passou a ser um instituto público no início de 2017, foi criado um Conselho Geral e de Supervisão, órgão que toma as principais decisões de gestão, como a abertura a novos beneficiários e a indicação de um dos dois vogais do conselho diretivo.

O Conselho Geral e de Supervisão tem nove elementos: três representantes dos principais sindicatos da Função Pública (Fesap, STE e Frente Comum), dois das associações de reformados (Apre e Murpi) e quatro elementos eleitos diretamente por sufrágio direto dos beneficiários. Com as listas apresentadas, antecipa-se um aumento do peso dos sindicatos neste órgão. As eleições estão marcadas para 19 de setembro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
José Vieira da Silva, ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social. Fotografia: Jorge Amaral/Global Imagens

Reformas. Governo quer normalizar pagamentos até ao final do ano

O primeiro-ministro, António Costa, discursa durante um encontro com empresários a trabalhar em Angola, em Luanda, Angola. O primeiro-ministro termina esta terça-feira, uma visita oficial de dois dias a Angola, durante a qual procurará retomar rapidamente os níveis anteriores a 2014 nas relações económicas e normalizar os contactos bilaterais político-diplomáticos. (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

Costa: Portugal deseja mais empresas e investidores angolanos no país

Margrethe Vestager, comissária europeia da Concorrência. REUTERS/Yves Herman

Bruxelas suspeita de cartel alemão na tecnologia de emissões

Outros conteúdos GMG
João Proença entre candidatos ao conselho de supervisão da ADSE