Jogos Santa Casa

Jogar no Euromilhões vai ficar mais caro

Jogos Santa Casa
Jogos Santa Casa

Conselho de Ministros aprovou um novo jogo o Totosorteio que vai ter um custo de 30 cêntimos por aposta associado ao Euromilhões.

Jogar no Euromilhões vai passar a ser mais caro, depois da atualização aprovada pelo Conselho de Ministros ao valor da aposta do jogo gerido pela Santa Casa da Misericórdia.

O Conselho de Ministros aprovou ainda um novo jogo social sobre sorteio de números, o Totosorteio, associado ao Euromilhões, visando combater a oferta ilegal de jogos com sorteio de números e equiparar as regras nacionais às restantes Lotarias da União Europeia.

O Totosorteio “será explorado em conjunto com o Euromilhões: a participação no Euromilhões implica a participação no Totosorteio e a participação no Totosorteio” implica a participação no “Euromilhões””, pode-se ler no comunicado do Conselho de Ministros.

“Este novo jogo consiste num sorteio de números em que, pelo preço de 0,30 euros por aposta, para além do valor da aposta no Euromilhões – que será atualizada para 2,20 euros (o total da aposta passará para 2,50 euros)”, definiram os ministros.

Os apostadores ficam habilitados a “um prémio garantido no valor de 1.000.000 euros”.

“Com a criação deste jogo pretende-se combater a oferta ilegal que se verifica existir neste tipo de sorteios de números, canalizando-a para a oferta legal, em estritas condições de segurança, integridade e transparência, as quais são garantidas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa”, justifica o Conselho de Ministros. “É assegurado que os resultados líquidos destas apostas continuam destinados a fins de interesse público”, continua o comunicado.

A criação do novo jogo Totosorteio pretende igualmente equiparar as regras nacionais do jogo Euromilhões às restantes Lotarias da União Europeia.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Lisboa-19/12/2019  - Conferencia de Antonio Mexia ,CEO da EDP. 
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)

Chinesa CTG vende 1,8% da EDP

A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva (C), acompanhada pelo secretário de Estado Adjunto, do Trabalho e da Formação Profissional, Miguel Cabrita(D) e pela secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdadepela (D), Rosa Monteiro, durante a reunião da Comissão Permanente de Concertação Social, em Lisboa, 26 de fevereiro de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo propõe licença parental paga até um ano no trabalho em part-time

O ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Novo Banco: Estado como acionista só dilui posição do Fundo de Resolução

Jogar no Euromilhões vai ficar mais caro