Europa

Juncker garante “apoio pessoal” a Von der Leyen

O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker REUTERS/Yves Herman
O Presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker REUTERS/Yves Herman

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, garantiu hoje apoiar Ursula von der Leyen, indicada para a liderança do executivo comunitário, no processo de transição de competências, caso o Parlamento Europeu confirme o nome da ministra alemã.

“O presidente [Jean-Claude Juncker] assegurou à candidata que pode contar com o apoio da Comissão e com o seu apoio pessoal para garantir uma transição suave, caso seja eleita pelo Parlamento Europeu”, declarou o porta-voz do executivo comunitário, Margaritis Schinas, durante a conferência de imprensa diária daquela instituição.

Jean-Claude Juncker teve hoje o primeiro encontro com Ursula von der Leyen desde que os 28 líderes dos Estados-membros da União Europeia (UE) indicaram, na terça-feira, o nome da atual ministra da Defesa alemã para suceder ao luxemburguês, que ocupa a presidência do executivo europeu desde 2014.

Para se tornar presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen terá de conseguir a aprovação do Parlamento Europeu numa votação prevista para meados deste mês, prevista para 16 ou 17 de julho.

Sobre a reunião de hoje, que ocorreu esta manhã em Bruxelas, Margaritis Schinas acrescentou que foi “um encontro amistoso entre dois autênticos europeus que se conhecem há anos”.

Questionado sobre o descontentamento manifestado por algumas famílias políticas do Parlamento Europeu, nomeadamente a família social-democrata, por causa da política conservadora alemã não ter figurado entre os candidatos propostos pelos partidos políticos para presidir à Comissão Europeia (processo conhecido como ‘spitzenkandidaten’), Margaritis Schinas escusou-se a dizer se tal questão foi abordada na reunião entre Jean-Claude Juncker e Ursula von der Leyen.

“Agora cabe à candidata à presidência garantir que até à sua eleição no Parlamento Europeu todas as medidas necessárias sejam tomadas”, acrescentou o porta-voz.

Naquela que foi a sua primeira deslocação como candidata à presidência da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen escolheu deslocar-se, na quarta-feira, a Estrasburgo (França), onde esta semana se sentaram pela primeira vez os eurodeputados eleitos nas eleições europeias de maio passado.

“Tenciono ouvir muito, de forma a desenvolver, nas próximas duas semanas, um diálogo com o Conselho e o Parlamento, uma visão para os próximos cinco anos para a Europa”, disse em Estrasburgo Ursula von der Leyen, em declarações à imprensa.

Após uma longa maratona negocial, que se prolongou em Bruxelas ao longo de três dias, os chefes de Estado e de Governo dos 28 países da UE chegaram na terça-feira a um acordo e designaram a alemã Ursula von der Leyen para a presidência da Comissão Europeia, o belga Charles Michel para a presidência do Conselho Europeu, o espanhol Josep Borrell para o cargo de Alto Representante da UE para a Política Externa e a francesa Christine Lagarde para o Banco Central Europeu.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Algarve, Portugal. Fotografia: D.R.

Algarve lança campanha. “Fiquem em casa para regressarem com mais saudade”

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Juncker garante “apoio pessoal” a Von der Leyen