Juros da dívida mantêm tendência de subida ao longo do dia

Os mercados reagiram mal aos resultados das eleições de domingo em
França e na Grécia, continuando ao longo do dia a pressionar em alta os
juros da dívida pública.

Apenas as Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos inverteram a tendência de subida com que tinham arrancado a semana, apresentando os títulos portugueses, espanhóis e italianos já ligeiras subidas por volta das 15:30 em relação às cotações da manhã.

As OT portuguesas a 10 anos cotavam segundo a Bloomberg nos 11,186%, contra os 11,223% que registavam a meio da manhã, quando tinham encerrado a semana passada a 11,099%. Também os títulos espanhóis de igual maturidade recuaram dos 5,804% às 10:00, para os 5,754 às 15:30, que comparam com os 5,734 de sexta-feira, enquanto os italianos cairam de 5,498% para para 5,407%, contra os 4,434 da sessão anterior,

Os investidores continuaram porém a pressionar em alta os títulos da dívida grega, refletindo a sua intranquilidade quanto ao que vai seguir-se depois dos dois principais partidos helénicos pró-austeridade não terem conseguido obter em conjunto uma maioria de votos no escrutínio de ontem. As OT gregas a 10 anos cotavam, assim, nos 22,961% às 15:30, contra os 22,831% das 10 da manhã e os 20,57% de sexta-feira, quase 2,5 pontos percentuais acima da última cotação da semana passada.

Também os juros da dívida pública portuguesa a dois e cinco anos mantiveram ao longo do dia a tendência de alta. No prazo mais curto, a taxa subiu de 7,977 na última sessão para 8,051 pela manhã de hoje, enquanto às 15:30 se situava já em 8,17%. A cinco anos, a taxa saltou de 12,438% na sexta-feira para 12,907% hoje à tarde, depois de a meio da manhã ter atingido já os 12,792%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
EPA/MICHAEL REYNOLDS

Ação climática. Portugal vai ter de gastar mais de um bilião de euros

Quartel da Graça, em Lisboa. (Fotografia: D.R.)

Revive: Sete hoteleiros na corrida para transformar o Quartel da Graça

Thomas Cook era a agência turística mais antiga do mundo. ( EPA/ARMANDO BABANI)

Thomas Cook declarou falência. 600 mil turistas procuram solução

Outros conteúdos GMG
Juros da dívida mantêm tendência de subida ao longo do dia