FMI

Lagarde alerta para crescimento lento e insta governos a lutar contra corrupção

Christine Lagarde. Fotografia: REUTERS/Ng Han Guan
Christine Lagarde. Fotografia: REUTERS/Ng Han Guan

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, alertou este domingo para o crescimento lento da economia devido a vários fatores como a desaceleração da economia chinesa e instou os governos a lutar contra a corrupção.

No primeiro dia da World Government Summit, realizada nos Emirados Árabes Unidos, Christine Largarde disse que as “tensões comerciais e aumentos de impostos, as restrições financeiras, a incerteza sobre o ‘Brexit’ e a desaceleração da economia chinesa” estão por detrás da desaceleração da economia.

“Estão a afetar o comércio, a confiança e os mercados”, disse.

A diretora-geral do FMI salientou que a economia mundial está num momento de “transformação” e que o futuro após a crise “permanece desconhecido”.

“O futuro do trabalho está a mudar radicalmente e, consequentemente, muitos serão diferentes. É uma combinação entre a globalização e a tecnologia e os empregos serão adaptados à inteligência artificial”, realçou.

Neste ponto, referiu Lagarde, “as políticas que abordam mudanças nos empregos são necessárias”.

“Os governos não devem apenas melhorar as economias dos países, mas devem também aumentar a qualidade de vida de seus cidadãos”, disse.

Christine Lagarde chamou também a atenção dos países a corrupção que, na sua opinião, “gera desconfiança e afeta o crescimento da economia”.

“Pedimos aos estados que não arruínem as suas economias, que apliquem a transparência e adotem boas políticas governamentais”, referiu.

A Cimeira começou este domingo no Dubai, com a participação de mais de 4.000 pessoas de 140 países, incluindo chefes de Estado, ministros e autoridades que se reúnem para discutir o futuro dos governos.

Representantes de mais de 150 países, incluindo Portugal, participam de hoje a terça-feira, no Dubai, no World Government Summit, onde líderes políticos, religiosos, económicos e sociais irão debater o futuro próximo do planeta.

Ao longo dos três dias, a governança nas suas várias valências será alvo de uma multiplicidade de olhares, debatendo como mitigar o risco da próxima epidemia global, como a consciência pode transformar a educação ou como definir propriedade intelectual na era da inteligência artificial.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fátima Fonseca , Secretária de Estado da Administração e Emprego Público.

Leonardo Negrão / Global Imagens

Aumentos em serviços sem processos centralizados podem ficar para março

Foto: Jorge Amaral/Global Imagens

Governo: Cabe ao regulador dos seguros avaliar idoneidade de Tomás Correia

( Paulo Spranger / Global Imagens) .

PCP quer saber o que se passa com os precários de seis laboratórios do Estado

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Lagarde alerta para crescimento lento e insta governos a lutar contra corrupção