Christine Lagarde

Lagarde avisa para o perigo do regresso a uma Grande Depressão

Cristine Lagarde, diretora do FMI
Cristine Lagarde, diretora do FMI

Não existem dúvidas para a directora do Fundo Monetário Internacional
(FMI): se a crise económica não for combatida a uma escala global existe o risco
real do mundo entrar numa crise económica semelhante à dos anos 30, a
Grande Depressão.

A francesa lançou um claro aviso sobre as consequências do aumento da
crise: “Não existe economia no mundo, sejam países de baixos
rendimentos,
mercados emergentes, países com rendimentos médios ou economias super
avançadas que estejam imunes à crise, que não está somente a
desenvolver-se como a aumentar”, segundo o The Guardian.

Christine Lagarde apelou também a uma maior participação global para combater a crise. “A crise não vai ser resolvida somente por um grupo de países a tomarem medidas. Vai ser, espero, resolvida por todos os países, todas as regiões, todas as categorias de países que estão a tomar acções, actualmente”.

A parte mais assustadora do discurso, feito no Departamento de Estado norte-americano, em Washington, foi quando Lagarde avisou sobre as consequências de falhar em resolver a crise, o que pode levar ao “proteccionismo, isolamento, e outros elementos reminiscentes da Depressão dos anos 30”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
7. Aeroporto de Londres Heathrow

Oficial. Portugal fora do corredor turístico do Reino Unido

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Decisão do Reino Unido é “absurda”, “errada” e “desapontante”, diz Santos Silva

O primeiro ministro, António Costa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

António Costa admite despedimentos na TAP com menos rotas e aviões

Lagarde avisa para o perigo do regresso a uma Grande Depressão