Lay-off chegou a 850 mil trabalhadores. Foram pagos 580 milhões de euros

Ana Mendes Godinho indicou ainda que os apoios excecionais custaram até agora 778 milhões de euros e foram apoiadas mais de um milhão de pessoas.

Mais de 105 mil empresas aderiram ao regime de lay-off simplificado, abrangendo um universo de quase 850 mil trabalhadores, revelou a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), esta terça-feira, no parlamento.

"Foram criados mecanismos especiais como o lay-off simplificado. Respostas imediatas que foram colocadas à disposição das famílias e dos trabalhadores", começou por indicar Ana Mendes Godinho na intervenção inicial para apresentação do Orçamento do Estado Suplementar (OES2020) esta terça-feira, 16 de junho.

"Até à data de hoje 105.404 empresas recorreram a este mecanismo , abrangendo 849.715 trabalhadores, sendo que foram pagos 580 milhões de euros", avançou a ministra na audição na Comissão Parlamentar de Orçamento e Finanças.

"Contamos esta semana ter um diploma a regular a prorrogação do lay-off simplificado em julho, procurando salvaguardar as questões que suscitou para os período de transição" e salvaguardar as atividades que vão continuar encerradas por ordem do Governo, adiantou a ministra em reposta ao deputado do CDS, João Almeida.

Ana Mendes Godinho referiu que mais de 82% das empresas pediram a prorrogação do lay-off simplificado. "Neste momento temos cerca de 87 mil empresas que pediram a prorrogação do lay-off simplificado, o que é um bom sinal porque temos muitas empresas que já estão com capacidade de retomar a atividade, afirmou a ministra, acrescentando que o "tempo médio de análise foi de 16 dias".

Em termos globais, Ana Mendes Godinho indicou que até agora, cerca de um milhão 222 mil trabalhadores foram abrangidos pelas medidas excecionais criadas para responder à pandemia, com 144 mil empresas abrangidas e 778 milhões de euros pagos até agora.

Notícia atualizada às 16h26

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de