Coronavírus

Lay-off. “Quanto mais tempo durar, melhor”, diz Marcelo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (E), ladeado pelo primeiro-ministro, António Costa (D), fala aos jornalistas no final da sessão de apresentação da "Situação epidemiológica da covid-19 em Portugal", no Infarmed, em Lisboa, 15 de abril de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (E), ladeado pelo primeiro-ministro, António Costa (D), fala aos jornalistas no final da sessão de apresentação da "Situação epidemiológica da covid-19 em Portugal", no Infarmed, em Lisboa, 15 de abril de 2020. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Prolongamento da medida será bom, mesmo que seja num modelo diferente, defendeu o Presidente.

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu este sábado o prolongamento do lay-off simplificado por “mais meses”, apontando que, se houver meios, “quanto mais tempo” a medida vigorar, “melhor”, para evitar despedimentos.

“Se se quer realmente dar tempo e permitir um fôlego maior para impedir que quem está em lay-off passe, em números significativos, para o desemprego, se o Governo consegue obter meios, e tem meios disponíveis para prolongar o lay-off por mais algum tempo, quanto mais tempo melhor, porque estas retomas são sempre muito difíceis”, disse o chefe de Estado aos jornalistas.

Marcelo Rebelo de Sousa visitou hoje as instalações do Banco Alimentar contra a Fome, em Lisboa, tendo feito uma contribuição através da Internet.

“Esta ideia de que fecha uma parte, pequena que seja, da economia, e reabre daí a três meses como se nada tivesse acontecido, isso é ficção, isso não existe”, advertiu.

Por isso, insistiu que, “se houver disponibilidade para prolongar o lay-off por mais meses, isso é bom, nem que seja num modelo diferente”.

“É bom porque permite que esta retoma, que vai ser difícil, possa ser feita com mais tempo à frente”, defendeu o Presidente.

Questionado se já tem conhecimento do plano do governo nesta matéria, Marcelo Rebelo de Sousa disse que não porque “ainda não foi aprovado”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. JOÃO RELVAS/POOL/LUSA

Governo cria complemento salarial até 350 euros para trabalhadores em lay-off

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa, 04 junho 2020, realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda, em Lisboa.     MANUEL DE ALMEIDA / POOL/LUSA

Banco de Fomento para Portugal com “aprovação provisória”

O primeiro ministro, António Costa, fala aos jornalistas durante a conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, no Palácio da Ajuda,  em Lisboa, 29 de maio de 2020. O Governo decidiu adiar a passagem para a terceira fase de desconfinamento na Área Metropolitana de Lisboa e criou regras especiais, sobretudo em atividades que envolvem “grande aglomerações de pessoas”.  MANUEL DE ALMEIDA/POOL/LUSA

Trabalhadores em lay-off passam a receber entre 77% e 92% do salário

Lay-off. “Quanto mais tempo durar, melhor”, diz Marcelo