Arte

Christie’s aposta no online e fecha casas na Europa

(DR)
(DR)

A leiloeira está de olhos postos na Ásia e nos Estados Unidos e vai reduzir a operação em Londres e Amesterdão.

Com cada vez mais clientes nos Estados Unidos e na Ásia, a Christie’s vai mudar o rumo da empresa, para se adaptar às mudanças do segmento das artes, indicou a leiloeira em comunicado esta semana. “Temos observado a globalização do mercado na última década e precisamos de ter uma presença forte onde estão os nossos clientes”, indicou o CEO, Guillaume Cerutti.

O online passa a ser uma aposta da casa, que quer chegar aos jovens colecionadores que preferem fazer as suas compras no conforto dos seus lares. Por outro lado, está prevista a abertura de novas salas na Ásia, onde a Christie’s cresceu 35%, tendo salas em Xangai, Pequim, Bombaim, Hong Kong e Dubai. Nos Estados Unidos, a leiloeira pretende investir em Los Angels. No mercado norte-americano, a empresa registou um crescimento de 39%.

A mudança de rumo da Christie’s implica uma redução do investimento na Europa. Espera-se o encerramento de salas em Londres, incluindo o histórico espaço de South Kensington, e em Amesterdão. O New York Times avança que estas alterações poderão levar ao despedimento de 250 funcionários.

“Seguindo o nosso sucesso nas vendas online e no aumento dos nossos clientes globais na Ásia e noutras regiões, estamos a considerar mudar para os hubs regionais relevantes e para o online. Significa que estamos a considerar ter apenas um espaço em Londres e alterar a nossa oferta em Amesterdão”, explicou Guillaume Cerutti.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Gustavo Bom/Global Imagens

Não conseguiu validar as faturas para o IRS? Contribuintes têm mais um dia

O ministro das Finanças, Mário Centeno, na apresentação das obras de arte da coleção BPN, agora integradas na Coleção do Estado, no Forte de Sacavém. Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Fundo de Resolução já pagou em juros 530 milhões ao Estado e 90 milhões a bancos

(Filipe Amorim / Global Imagens)

Venda do Novo Banco é “um não-assunto” para o Fundo de Resolução

Christie’s aposta no online e fecha casas na Europa