Energia

Luz e gás. Ofertas sem contratação de serviços extra saem mais caras

bright-1847006_1280

A conclusão é dos mais recentes boletins de ofertas comerciais de eletricidade e gás da ERSE. A diferença pode chegar a ser de mais 68 euros por ano.

No segundo trimestre de 2019, entre abril e junho, a oferta mais barata de eletricidade para um casal com dois filhos pertencia à Galp Energia, com uma fatura anual de 1068 euros, que corresponde a um desconto de -5% nos preços e a uma poupança de 58 euros por ano em relação à tarifa regulada (1126 euros).

No entanto, sublinha o mais recente boletim da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), esta é uma “oferta condicionada”, ou seja, para obtê-la é necessário subscrever a tarifa Galp Continente, com descontos cruzados entre combustíveis, eletricidade e compras no supermercado. Portanto, para poupar na energia em casa, o consumidor tem de gastar nos combustíveis da mesma marca e em produtos alimentares de uma marca parceira no retalho.

Para as famílias que optassem por uma maior liberdade e não quisessem estar sujeitas a estas condições de consumo, a oferta mais barata era então a Tarifa Simples de eletricidade da Endesa, com uma fatura anual 11 euros mais cara, de 1079 euros, que corresponde a um desconto de -4% e uma poupança de 47 euros/ano face à tarifa regulada.

Já nas ofertas duais – gás e eletricidade em conjunto – a mais barata pertencia à EDP Comercial no segundo semestre, com a tarifa Desconto de Amigo (sujeita à contratação de mais um novo cliente) a valer uma fatura anual de 1131 euros, menos 80 euros do que a tarifa regulada e menos 6 euros do que a Tarifa Simples da Endesa, que não acarreta condicionantes extra na oferta. À sua disposição, as famílias com dois filhos tinham 116 ofertas diferentes de eletricidade.

No caso de um casal com quatro filhos, a eletricidade mais barata nas ofertas condicionadas era a tarifa Galp Continente (2255 euros), enquanto sem condições extra pagavam 2323 euros com a Goldenergy, ou seja, mais 68 euros por ano nesta segunda opção.

E para um casal sem filhos a conta anual de luz saldava-se entre abril de junho em 443 euros para os sócios do Automóvel Clube Portugal que aderissem à tarifa Monoelétrico ACP da Goldenergy. Nas ofertas não condicionadas a mais barata era também da Goldenergy para este consumidor-tipo: 453 euros (mais 10 euros para não estar sujeito a condições contratuais).

Nos três meses a que se refere o boletim da ERSE existiam 19 comercializadores com ofertas de eletricidade e sete com ofertas duais. No gás, eram nove as comercializadoras com ofertas.

No boletim da ERSE que diz respeito às ofertas comerciais de gás natural, a maior poupança para um casal com dois filhos surge com a Tarifa Simples da Endesa com 259 euros anuais, que corresponde a uma poupança de 9% e menos 25 euros face à tarifa regulada.

Para uma família numerosa (quatro filhos), a tarifa mais baixa regista no gás foi a da Galp Energia (Galp Continente), por 545 euros/ano. Fora das ofertas condicionadas a tarifa regulada é a mais barata para estes consumidores (556 euros), seguindo-se a tarifa e-gás da Endesa (560 euros).

Numa casa só com dois adultos, a Tarifa Simples da Endesa volta a ser a mais barata (136 por ano pelo consumo de gás), correspondendo a um desconto de -9% e uma redução de 13 euros face à tarifa regulada para este consumidor-tipo (149 euros).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Luz e gás. Ofertas sem contratação de serviços extra saem mais caras