Mercado Imobiliário

Bloomberg: Madonna em Lisboa pode impulsionar preços do imobiliário

Madonna_2

Em quatro anos, os preços das casas subiram 35% e o interesse que as estrelas mundiais demonstram não está a ajudar.

O interesse da estrela ‘pop’ Madonna pela cidade de Lisboa pode contribuir para a tendência de agravamento dos preços do imobiliário na região, acreditam especialistas ouvidos pela Bloomberg. Mas o que é boa notícia para uns – os preços do imobiliário subiram 35% entre 2012 e 2016 – é mau para outros, visto que o rendimento disponível das famílias aumentou apenas 3,8% no mesmo período.

“Ter a Madonna à procura de propriedades em Lisboa não é apenas algo bom para o mercado, é algo que inevitavelmente irá fazer manchetes e continuar a impulsionar as vendas imobiliárias em Lisboa e no resto do país”, considerou Gustavo Soares, responsável da leiloeira Sotheby’s International Realty em Portugal, cujas propriedades estão entre algumas das visitadas pela cantora.

A visibilidade da cidade a nível internacional, partilhada já por outras estrelas como Monica Belluci, Christian Louboutin ou Eric Cantona, que possuem casa em Lisboa, impulsiona aspirações turísticas e imobiliárias, mas afasta cada vez mais as famílias da cidade.

“Há um problema grave de acessibilidade para as famílias portuguesas no que respeita ao mercado imobiliário em Lisboa”, reclama Leonor Duarte, fundadora do movimento “Morar em Lisboa“, que recolheu mais de quatro mil assinaturas para pedir ao Governo que ajude a providenciar alojamento acessível para as famílias da cidade.

Desde 2012 que os não-europeus que pretendam adquirir propriedades imobiliárias de valor superior a 500 mil euros têm visto de residência automático, o que já rendeu 2,8 mil milhões de euros ao Estado, além de o programa para residentes não habituais permitir o pagamento de uma taxa reduzida (20%) de imposto sobre o rendimento durante uma década e isentar por completo alguns pensionistas de pagar impostos.

Segundo Hugo Ferreira, diretor executivo da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários, foram tais benefícios que atraíram os franceses que, no ano passado, ultrapassaram os britânicos em número de proprietários estrangeiros em Portugal. “Para muitos destes estrangeiros são as isenções fiscais que influenciam a decisão de se mudarem para Lisboa”, disse.

O secretário de Estado da Indústria disse, em entrevista, há dias, que “hoje Lisboa é também um destino para a elite global como Madonna e Philippe Starck”, considerando a capital como “a estrela da Europa”. Porém, defendeu João Vasconcelos, “não há nenhuma bolha ou pré-bola” do imobiliário na cidade.

Nos 12 meses anteriores e até março passado, os preços do imobiliário subiram 5,6% em Portugal, segundo o Knight Frank Global House Price Index. É mais do que os 4,1% do Reino Unido, do que os 2,9% em França ou os 2,2% de Espanha.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

Bloomberg: Madonna em Lisboa pode impulsionar preços do imobiliário