finanças

Mais de 3,2 milhões de declarações de IRS submetidas no primeiro mês de entrega

Fotografia: MIGUEL A. LOPES/ LUSA
Fotografia: MIGUEL A. LOPES/ LUSA

Campanha de entrega decorre até ao final de maio e que está a ser feita apenas pela internet.

Mais de 3,2 milhões de declarações de IRS foram submetidas no primeiro mês da campanha de entrega do imposto, que decorre até ao final de maio e que está a ser feita apenas pela internet.

Segundo o Portal das Finanças, até às 01:00 de hoje foram entregues 3.216.606 declarações do Imposto do Rendimento de pessoas Singulares (IRS).

Os contribuintes têm agora mais um mês para entregarem a declaração de IRS sobre os rendimentos que auferiram em 2017, sendo que a campanha acaba em 31 de maio.

Este ano, à semelhança do ano passado, o prazo para a entrega da declaração de IRS é igual para todos os sujeitos passivos deste imposto, independente do tipo de rendimentos (pensionistas, de trabalho, recibos verdes ou outros) que auferiram no ano passado.

No entanto, esta é a primeira vez que a entrega tem de ser feita pela Internet, via Portal das Finanças, deixando de estar disponível a entrega em papel nas repartições das Finanças.

Ainda assim, a Autoridade Tributária disponibiliza o ‘Atendimento Digital Assistido’ aos contribuintes que possam ter uma maior dificuldade em fazer a entrega do IRS por via eletrónica, um serviço disponível num conjunto de serviços de finanças, juntas de freguesia e espaços do cidadão distribuídos pelo país.

Este ano, o preenchimento automático da declaração de IRS será alargado a 60% dos agregados familiares (cerca de três milhões), ao chegar aos trabalhadores por conta de outrem com dependentes a cargo, quando no ano passado apenas estava disponível para os que não tinham dependentes e pensionistas.

O IRS Automático vai estar disponível também para os sujeitos passivos de IRS que usufruam de benefícios fiscais respeitantes a donativos que sejam objeto de comunicação à Autoridade Tributária por parte das entidades beneficiárias.

Segundo o Ministério das Finanças, o alargamento do IRS Automático “permite prazos de reembolso mais curtos”.

“Estima-se que os reembolsos para o IRS Automático se realizem pelo menos no mesmo prazo verificado em 2017, que no caso do IRS Automático foi de 12 dias, sendo expectável que esse prazo possa vir a diminuir”, afirmam as Finanças.

No final da campanha de IRS de 2017, o prazo médio de devolução foi de 23 dias (no ano anterior tinha sido 36 dias) e no caso do IRS Automático foi de 12 dias.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Mercados

FMI. Dívida de alto risco faz soar os alarmes

Ministro das Finanças de Angola, Archer Mangueira. Fotografia: Direitos Reservados

Archer Mangueira garante solução para dívida a empresas até final do ano

António Costa, primeiro-ministro, e Mário Centeno, ministro das Finanças, num debate parlamentar sobre o OE2019. Fotografia: REUTERS/Rafael Marchante

Outras touradas do Orçamento: as medidas mais arriscadas

Outros conteúdos GMG
Mais de 3,2 milhões de declarações de IRS submetidas no primeiro mês de entrega