Hotelaria

Mais turistas portugueses melhoram resultados da hotelaria

Porto é cada vez mais procurado por turistas estrangeiros

Nos primeiros sete meses deste ano, a hotelaria portuguesa recebeu +8,8% de hóspedes que deram origem a quase 27 milhões de dormidas (+7,3%), de acordo com o destaque mensal do Instituto Nacional de Estatística. Este ano, foram os portugueses que mais contribuiram para esse aumento (+7,3% no acumulado até julho), embora os estrangeiros também tenham mantido a tendência de subida (+7,2%).

Quer em julho, quer no acumulado do ano, os proveitos totais e os proveitos de aposento subiram mais do que o aumento das dormidas ou de hóspedes, totalizando 1.311,15 milhões de euros (+12,3%) e 932,5 milhões de euros (+14,4%), respetivamente.

No que respeita a estrangeiros, em julho, o Reino Unido foi responsável por um aumento de 11,8% nas dormidas, Espanha subiu ligeiramente (+0.2%) interropendo o anterior trimestre de descida e a Alemanha (+14,8%) e a França (+10,5%) destacaram-se também entre os maiores crescimentos.

O Alentejo foi a região com maior aumento nas dormidas em julho (+21,1%), seguindo-se o Norte (+12,8%), o Centro (+12,5%) e os Açores (+12%). O Alentejo e o Norte foram também as únicas regiões com aumentos na estada média (+4,8% e +1,8%, respetivamente), numa conjuntura em que a média nacional diminuiu 2% em julho (para 3,22 noites) e -1,4% no acumulado do ano (para 2,79 noites).

A maioria dos residentes procurou o Algarve (+39,3% dormidas de residentes), ainda que em julho de 2014 essa procura fosse superior (42%). Quanto aos estrangeiros, as regiões com maior crescimento da procura foram o Norte (+16,5%), a Madeira (+8,7%) e o Centro (+8,5%). Ainda assim, as zonas que concentraram mais dormidas dos estrangeiros continuaram a ser o Algarve (43,2%), Lisboa (23,3%) e a Madeira (14,8%).

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Visita de Angela Merkel à Bosch, em Braga. A chanceler alemã foi
acompanhada pelo primeiro-ministro, António Costa.
Fotografia: Artur Machado/ Global Imagens

O país aguenta uma nova crise? Agências de rating divididas

Lisboa, 19/7/2019 - Eduardo Marques, Presidente da AEPSA- Associação das Empresas Portuguesas para o Sector do Ambiente-  uma associação empresarial, criada em 1994, que representa e defende os interesses coletivos das empresas privadas com intervenção no setor do ambiente,
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Eduardo Marques. “Há um grande espaço para aumentar as tarifas da água”

Fotografia: Gleb Garanich/ Reuters.

Greve: Ryanair diz que não houve cancelamento de voos esta manhã

Outros conteúdos GMG
Mais turistas portugueses melhoram resultados da hotelaria