Comissão Europeia

Marcelo saúda reconhecimento de Bruxelas da evolução da economia

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa senta-se num helicóptero Alouette, durante uma visita à Base Aérea N.º 11 (BA11) em Beja, 05 de março de 2018. Fotografia: NUNO VEIGA/LUSA
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa senta-se num helicóptero Alouette, durante uma visita à Base Aérea N.º 11 (BA11) em Beja, 05 de março de 2018. Fotografia: NUNO VEIGA/LUSA

Reconhecimento de Bruxelas é um "passo importante do restabelecimento da credibilidade externa" do país, segundo Presidente da República.

O Presidente da República saudou hoje o reconhecimento pela Comissão Europeia da evolução positiva da economia portuguesa, considerando que se trata de um passo importante do restabelecimento da credibilidade externa e do “acerto do processo” desenvolvimento nos últimos anos.

“A evolução positiva da análise da Comissão Europeia sobre a economia portuguesa, que acaba de ser anunciada em Bruxelas, no quadro dos desequilíbrios macroeconómicos do semestre europeu, constitui um novo passo importante do restabelecimento da nossa credibilidade externa e do acerto do processo levado a cabo ao longo dos últimos anos”, lê-se numa nota do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no ‘site’ da Presidência da República.

A Comissão Europeia retirou hoje Portugal da lista de Estados-membros com “desequilíbrios macroeconómicos excessivos”, por ocasião da adoção do “pacote de inverno de semestre europeu” de coordenação de políticas económicas, considerando agora que o país apresenta apenas “desequilíbrios”.

Depois de, em novembro passado, Bruxelas ter identificado 12 Estados-membros que considerou merecerem uma “análise aprofundada” devido aos seus desequilíbrios macroeconómicos, hoje decidiu retirar um desses países da lista (a Eslovénia) e desagravar o nível de desequilíbrios de outros três, Portugal, França e Bulgária, que passam a ser considerados países simplesmente com “desequilíbrios económicos”.

Para Portugal e Bulgária, a Comissão Europeia sublinha a necessidade de prosseguir esforços complementares com vista a uma “correção sustentável dos desequilíbrios”, pedindo a Lisboa que apresente em abril um Programa Nacional de Reformas “ambicioso”.

Na apresentação do “pacote de inverno” do semestre europeu de coordenação de políticas económicas e orçamentais da União Europeia, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, também saudou a “boa notícia para Portugal” que constitui o desagravamento do procedimento de desequilíbrios macroeconómicos, sublinhando o “progresso impressionante feito pelo país no passado recente”.

“Hoje temos boas notícias para Portugal, já que a Comissão Europeia reconhece o progresso impressionante feito pelo país no passado recente. A recuperação económica de Portugal acelerou bastante no último ano, com um impacto muito positivo no desemprego, que está abaixo da média europeia”, começou por notar o comissário,

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Antonoaldo Neves EPA/GUILLAUME HORCAJUELO

TAP contrata mil tripulantes, traz 37 aviões novos e liga o Whatsapp (de graça)

Fotografia: João Girão/Global Imagens

Autoeuropa pode parar a qualquer momento por falta de espaço para os carros

gaspar fmi contas públicas défice dívida

FMI. Dívida mundial atinge máximo histórico de 162 biliões de euros

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Marcelo saúda reconhecimento de Bruxelas da evolução da economia