Comissão Europeia

Marcelo saúda reconhecimento de Bruxelas da evolução da economia

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa senta-se num helicóptero Alouette, durante uma visita à Base Aérea N.º 11 (BA11) em Beja, 05 de março de 2018. Fotografia: NUNO VEIGA/LUSA
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa senta-se num helicóptero Alouette, durante uma visita à Base Aérea N.º 11 (BA11) em Beja, 05 de março de 2018. Fotografia: NUNO VEIGA/LUSA

Reconhecimento de Bruxelas é um "passo importante do restabelecimento da credibilidade externa" do país, segundo Presidente da República.

O Presidente da República saudou hoje o reconhecimento pela Comissão Europeia da evolução positiva da economia portuguesa, considerando que se trata de um passo importante do restabelecimento da credibilidade externa e do “acerto do processo” desenvolvimento nos últimos anos.

“A evolução positiva da análise da Comissão Europeia sobre a economia portuguesa, que acaba de ser anunciada em Bruxelas, no quadro dos desequilíbrios macroeconómicos do semestre europeu, constitui um novo passo importante do restabelecimento da nossa credibilidade externa e do acerto do processo levado a cabo ao longo dos últimos anos”, lê-se numa nota do chefe de Estado, Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no ‘site’ da Presidência da República.

A Comissão Europeia retirou hoje Portugal da lista de Estados-membros com “desequilíbrios macroeconómicos excessivos”, por ocasião da adoção do “pacote de inverno de semestre europeu” de coordenação de políticas económicas, considerando agora que o país apresenta apenas “desequilíbrios”.

Depois de, em novembro passado, Bruxelas ter identificado 12 Estados-membros que considerou merecerem uma “análise aprofundada” devido aos seus desequilíbrios macroeconómicos, hoje decidiu retirar um desses países da lista (a Eslovénia) e desagravar o nível de desequilíbrios de outros três, Portugal, França e Bulgária, que passam a ser considerados países simplesmente com “desequilíbrios económicos”.

Para Portugal e Bulgária, a Comissão Europeia sublinha a necessidade de prosseguir esforços complementares com vista a uma “correção sustentável dos desequilíbrios”, pedindo a Lisboa que apresente em abril um Programa Nacional de Reformas “ambicioso”.

Na apresentação do “pacote de inverno” do semestre europeu de coordenação de políticas económicas e orçamentais da União Europeia, o comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, também saudou a “boa notícia para Portugal” que constitui o desagravamento do procedimento de desequilíbrios macroeconómicos, sublinhando o “progresso impressionante feito pelo país no passado recente”.

“Hoje temos boas notícias para Portugal, já que a Comissão Europeia reconhece o progresso impressionante feito pelo país no passado recente. A recuperação económica de Portugal acelerou bastante no último ano, com um impacto muito positivo no desemprego, que está abaixo da média europeia”, começou por notar o comissário,

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
( Pedro Rocha / Global Imagens )

Défice atinge 1,9% até junho. Meta do governo é de 0,7%

casas de lisboa

Preço das casas ainda sobe, mas já está a abrandar

No final de 2019 Estado terá mais 11 400 novos funcionários

Outros conteúdos GMG
Marcelo saúda reconhecimento de Bruxelas da evolução da economia