Arrendamento

Marcelo veta lei do direito de preferência a inquilinos

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. 
  Fotografia: RODRIGO ANTUNES/LUSA
Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Fotografia: RODRIGO ANTUNES/LUSA

O Presidente da República devolveu à Assembleia da República o diploma que dava direito de preferência aos inquilinos na compra da casa.

O Presidente da República devolveu à Assembleia da República, sem promulgação, o decreto que dava direito de preferência aos inquilinos na compra da casa. O diploma tinha chegado hoje a Belém.

Na nota publicada esta quarta-feira ao início da noite, Marcelo Rebelo de Sousa aponta duas razões para vetar o diploma, pedindo clarificação aos deputados. O Chefe de Estado chama a atenção para a “falta de indicação de critérios de avaliação para o exercício do direito de preferência, que existia em versão anterior do diploma”. O Presidente da República acrescenta que “tal como se encontra redigida, a preferência poder ser invocada não apenas pelos inquilinos para defenderem o seu direito à habitação, mas também por inquilinos com atividades de outra natureza, nomeadamente empresarial.”

De acordo com as informações que constam da página da Assembleia da República na internet, o diploma foi enviado hoje mesmo pelos serviços para o Palácio de Belém. Marcelo Rebelo de Sousa terá demorado algumas horas a decidir o destino do diploma. O decreto, que resultou de uma iniciativa do Bloco de Esquerda (BE), foi aprovado no dia 18 de julho com os votos a favor do PS, BE, PCP, PEV e PAN e contra do PSD e do CDS-PP.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Ramalho (Novo Banco), Luís Pereira Coutinho (Banco Postal), Nuno Amado (BCP) e António Vieira Monteiro (Santander Totta). Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Transferências bancárias imediatas sim, mas com custos

Fotografia: Leonardo Negrão / Global Imagens

Lesados do Banif pedem indemnização de 100 milhões a Portugal e a Bruxelas

As associações representativas dos taxistas marcaram para esta quarta-feira uma manifestação nacional contra a promulgação pelo Presidente da República do diploma que regula as plataformas electrónicas de transporte como a Uber, Cabify, Taxify e Chaffeur Privé. Manifestação de Lisboa.
Táxis junto à rotunda do Marquês de Pombal 
( Nuno Pinto Fernandes/ Global Imagens )

Plataformas de transportes ganham pouco com concentração dos taxistas

Outros conteúdos GMG
Marcelo veta lei do direito de preferência a inquilinos