Previsões da Primavera

Maria Luís diz que é “de esperar medidas adicionais” em 2016

Maria Luís Albuquerque. Fotografia: Pedro Nunes/LUSA
Maria Luís Albuquerque. Fotografia: Pedro Nunes/LUSA

A vice-presidente do PSD Maria Luís Albuquerque considerou hoje que é de "esperar que haja medidas adicionais algures ao longo deste ano".

A vice-presidente do PSD Maria Luís Albuquerque considerou hoje que é de “esperar que haja medidas adicionais algures ao longo deste ano” ao comentar as previsões da Comissão Europeia, segundo as quais o défice será de 2,7% do PIB.

“A Comissão Europeia vem juntar-se a um conjunto de entidades nacionais e internacionais que já tinham alertado para a mesma situação”, continuou a ex-ministra das Finanças, no parlamento, prevendo um “agravamento” do “ajustamento estrutural” em vez de uma “redução” do mesmo.

Segundo a estimativa económica da primavera da CE, o défice orçamental de Portugal vai ser de 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) este ano, acima dos 2,2% previstos pelo Governo e de 2,3% em 2017, ambos cenários mais pessimistas do que o apresentado pelo executivo no Programa de Estabilidade, no qual reiterou o compromisso de reduzir o défice orçamental para 2,2% este ano e para 1,4% em 2017.

“Não há ninguém que tenha previsões parecidas com aquelas que são as do Governo português e que estão no Programa de Estabilidade para 2016, mas também com efeitos para os anos seguintes. Por isso nós dizemos que são irrealistas”, sustentou a deputada social-democrata.

Para Maria Luís Albuquerque, ao observar “todos os indicadores económicos que vão estando disponíveis”, e “um conjunto tão diverso de entidades, todas a apontar para previsões de crescimento inferiores àquelas que o Governo apresenta, estabelece-se um consenso”, o de que “as previsões do Governo são irrealistas”.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Pedro Queiroz Pereira

Pedro Queiroz Pereira deixa império de mil milhões

Pedro Queiroz Pereira, presidente do conselho de administração da Semapa

Semapa: “Mais do que um património, PQP deixa força e deixa valores”

Outros conteúdos GMG
Maria Luís diz que é “de esperar medidas adicionais” em 2016