Brexit

May anuncia data de demissão após quarta votação ao acordo em junho

Matt Dunham/Reuters
Matt Dunham/Reuters

Theresa May reuniu em privado com o grupo parlamentar do partido Conservador, durante a qual terá sido pressionada para estabelecer uma data

A primeira-ministra britânica, Theresa May, pretende anunciar a sua demissão em junho, após a quarta tentativa para fazer passar o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE), anunciou hoje o presidente do grupo parlamentar, Graham Brady.

Num comunicado, Brady diz que May está determinada em garantir o ‘Brexit’ e focada em submeter a proposta de lei sobre o acordo de saída, a sua aprovação e a consequente saída do Reino Unido da UE durante o verão.

Ambos concordaram encontrar-se após a votação “para acordar um calendário para a eleição de um novo líder do Partido Conservador”, independentemente do resultado da votação.

May reuniu hoje em privado durante cerca de duas horas com o grupo parlamentar do partido Conservador, durante a qual terá sido pressionada para estabelecer a data em que pretende sair.

A líder conservadora já tinha anunciado a intenção de renunciar às funções antes do final do mandato, mas só depois de concluir o processo do ‘Brexit’.

O governo anunciou a intenção de submeter aos deputados na primeira semana de junho, num dia ainda incerto, a proposta de lei de do ‘Brexit’ no parlamento, para conseguir pôr em prática o processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

A votação vai acontecer numa semana com uma agenda política preenchida.

Na segunda-feira 03 de junho, o Presidente dos EUA, Donald Trump, inicia uma visita de Estado de três dias ao Reino Unido, na terça-feira o parlamento volta de férias, na quarta-feira têm lugar em Portsmouth as celebrações do 75.º aniversário dos desembarques dos aliados na Normandia que resultaram na vitória da II Guerra Mundial, que terão a presença de Trump, May e a rainha Isabel II, e na quinta-feira realiza-se a eleição parlamentar parcial no círculo de Peterborough.

A proposta de lei é o texto legislativo que aplica o Acordo de Saída e que estabelece os termos de saída do Reino Unido da UE, inicialmente prevista para 29 de março.

O governo qualificou como “imperativo” tentar aprovar a lei antes que o parlamento britânico suspenda os trabalhos para férias em julho, para garantir que o país sai da UE antes do prazo de 31 de outubro estabelecido pelo Conselho Europeu.

O Acordo de Saída negociado com Bruxelas já foi chumbado três vezes na Câmara dos Comuns, e negociações com o partido Trabalhista, principal partido da oposição, para encontrar um entendimento continuam sem um resultado positivo.

Hoje, o porta-voz do ‘Labour’ para o ‘Brexit’, Keir Starmer, vincou que o partido votará contra a proposta de lei se não existir um entendimento com o governo.

Se o documento não for aprovado, o governo May não poderá submetê-la de novo nesta legislatura, o que implica começar uma nova e ao mesmo tempo renovar o acordo com o Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte.

É o DUP que garante a maioria parlamentar ao governo do partido Conservador, mas o partido tem-se oposto repetidamente ao Acordo para o ‘Brexit’ devido à solução para a Irlanda do Norte evitar controlos alfandegários na fronteira terrestre com a Irlanda, designada por ‘Backstop’, por vincular a província britânica a regras do mercado interno europeu, diferentes do resto do Reino Unido.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Boom de queixas contra agências imobiliárias

O ex-presidente da Three Gorges e António Mexia, na assinatura da privatização

Quanto renderam em dividendos as empresas vendidas pelo Estado?

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
May anuncia data de demissão após quarta votação ao acordo em junho