Membros do futuro Banco de Desenvolvimento dos países emergentes em “amplo consenso”

O vice-ministro das Relações Externos chinês, Li Baodong,declara o forte desejo dos 5 países estabelecerem um banco
O vice-ministro das Relações Externos chinês, Li Baodong,declara o forte desejo dos 5 países estabelecerem um banco

O Governo chinês assegurou hoje que existe um "amplo consenso" para a criação de um Banco de Desenvolvimento dos BRICS (países emergentes), cujo anúncio formal deverá acontecer já este mês, na cimeira daquele grupo.

“Os cinco países têm um forte desejo de estabelecer um banco e chegaram a
um amplo consenso nesse sentido”, disse o vice-ministro das Relações
Externos chinês, Li Baodong, “numa conferência de imprensa destinada a antecipar a cimeira que decorre em Fortaleza, no Brasil, no próximo dia 15.

Os BRICS são compostos pelo Brasil, Rússia, China, Índia e África do Sul, e deverão passar, assim, a ter um banco destinado a desenvolver projetos de desenvolvimento, que será financiado inicialmente com um capital que pode chegar aos 100 mil milhões de dólares (cerca de 73,5 mil milhões de euros), de acordo com a AFP.

Leia também: Frasquilho: “Existe confiança mútua” entre Portugal e China

As negociações para a criação do banco já duram há alguns anos, mas as dificuldades técnicas têm atrasado o processo: “As divergências têm de se resolver mediante o diálogo entre todos os países membros, as discussões ainda continuam, há muitos pontos de vista, mas o objetivo de pôr em marcha o mais rápido possível este banco é comum a todos”, acrescentou o responsável chinês.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Dos blueprints  dos primeiros automóveis, ao topo dos carros elétricos atuais, de elon Musk, em homenagem, a Nikolas Tesla.
Ilustração: VITOR HIGGS

Automóvel. Em 20 anos do euro mudou tudo, menos a carga fiscal e o líder

João Vieira Lopes, presidente da Confederação do Comércio e Serviços.
(Jorge Amaral/Global Imagens)

Vieira Lopes: “Metas do governo são realistas mas é preciso investimento”

A EDP, liderada por António Mexia, vai pagar o maior cheque de dividendos da bolsa nacional.

PSI20.Menos lucros mas o mesmo prémio aos acionistas

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Membros do futuro Banco de Desenvolvimento dos países emergentes em “amplo consenso”