davos

Merkel reitera defesa do multilateralismo e de compromissos a nível global

REUTERS/Arnd Wiegmann
REUTERS/Arnd Wiegmann

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje no Fórum Económico Mundial em Davos (Suíça) o multilateralismo como “algo indispensável"

A chanceler alemã, Angela Merkel, defendeu hoje no Fórum Económico Mundial em Davos (Suíça) o multilateralismo como “algo indispensável para um desenvolvimento positivo” e a procura de compromissos a nível global para enfrentar os desafios do século XXI.

“Considero o multilateralismo como algo indispensável para um desenvolvimento positivo em todo o mundo”, declarou a líder alemã, na sua intervenção.

Neste sentido, a chanceler da Alemanha destacou que os países ao pensarem nos seus interesses nacionais também devem ter em consideração os interesses de outros Estados, de forma a serem alcançadas soluções em todos ganham.

“Acredito que, ao considerar os seus interesses nacionais, cada país deve também pensar nos interesses de outros para chegar a soluções vantajosas para todos”, assinalou.

Por essa razão, Merkel afirmou acreditar que a procura de compromissos é igualmente indispensável para a existência de uma “arquitetura global”, apesar de muitos atacarem, atualmente, os pactos internacionais como se estes fossem uma debilidade política.

“Quando penso que muitos veem o compromisso como algo negativo, preocupo-me muito. Uma arquitetura global só pode funcionar se formos capazes de assumir compromissos”, declarou.

Na mesma intervenção, Angela Merkel assinalou que a política dos bancos centrais mostra que ainda estamos a viver sob os efeitos da crise financeira ocorrida há uma década, apelando aos atores internacionais para que tudo seja feito dentro do possível para que tal cenário não se repita.

“Fizemos progressos, sem dúvida, mas se falarem com as pessoas, percebe-se que perderam a confiança no sistema e é por isso que temos de fazer mais”, defendeu.

A chanceler alemã chamou ainda a atenção para a importância de existir uma reforma das instituições internacionais, para que estas reflitam melhor a atual correlação de forças no mundo, exemplificando a importância que a China e a Índia têm atualmente na economia mundial.

Angela Merkel não se esqueceu do processo de saída do Reino Unido da União Europeia (UE), conhecido como ‘Brexit’, e afirmou que, apesar da atual situação, continua empenhada para que seja alcançada uma saída ordenada, ou seja, uma saída com um acordo entre Londres e os 27 Estados-membros da UE.

“Todos os meus esforços visam alcançar uma saída ordenada que nos permita ter um bom relacionamento para o bem de todos”, disse Merkel.

A 49.ª edição do Fórum Económico Mundial em Davos arrancou na terça-feira e é marcada pela ausência dos líderes políticos dos Estados Unidos, França e Reino Unido.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, Mário Centeno e outros ministros num evento sobre os três anos de Governo. Fotografia: 
Gonçalo Delgado/Global Imagens

Costa só reverteu 35% do emprego público destruído no tempo de Passos e Portas

( Pedro Granadeiro / Global Imagens )

Salário já não é tudo para segurar jovens talentos

O Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa. (Fotografia: Inácio Rosa/ Lusa)

Governo quer Finanças a fiscalizar Banco de Portugal

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Merkel reitera defesa do multilateralismo e de compromissos a nível global