União Europeia

Merkel sublinha importância de a UE ter demonstrado “grande unidade”

German Chancellor Angela Merkel arrives to take part in a European Union leaders summit, in Brussels, Belgium July 2, 2019. Geoffroy Van Der Hasselt/Pool via REUTERS
German Chancellor Angela Merkel arrives to take part in a European Union leaders summit, in Brussels, Belgium July 2, 2019. Geoffroy Van Der Hasselt/Pool via REUTERS

A chanceler alemã Angela Merkel sublinhou esta terça-feira a importância de um amplo acordo na União Europeia

A chanceler alemã Angela Merkel sublinhou esta terça-feira a importância de um amplo acordo na União Europeia (UE) na designação dos futuros líderes após três dias de impasse ao referir que “todos tinham que tomar decisões e tomaram-nas”.

“Foi importante que termos sido capazes de decidir hoje em grande unidade, e isso é importante porque se trata da nossa futura capacidade para trabalhar”, disse em declarações aos ‘media’.

Merkel acrescentou que atendendo às diferentes perspetivas surgidas durante a cimeira, “é de grande valor que tenhamos conseguido isto”.

Numa referência à designação da sua ministra da Defesa, Ursula von der Leyen, para a presidência da Comissão Europeia, a chanceler alemã considerou “constituir um bom sinal que este cargo seja pela primeira vez assumido por uma mulher” e sublinhou que, caso seja aprovada pelo Parlamento europeu, von der Leyen será a primeira pessoa de nacionalidade alemã a dirigir o executivo europeu desde há 52 anos.

Neste período, a França garantiu “quatro presidentes” da Comissão, recordou.

Ao pronunciar-se sobre a designação do chefe da diplomacia de Espanha, Josep Borrel, para o cargo de Alto representante da política externa da UE, Merkel assegurou que fará “um bom trabalho”.

A chanceler sustentou que Borrel é um candidato “muito adequado” para ocupar esse posto que requer “reflexão sobre a variedade de diferentes opiniões entre os Estados-membros” da UE e sublinhou que é um “experiente” titular da área da diplomacia.

Ainda numa referência ao processo de votação, Ângela Merkel indicou que se absteve durante o voto entre dirigentes europeus em Bruxelas para a designação da sua compatriota Ursula von der Leyen à liderança da Comissão.

No decurso do voto dos dirigentes dos 28 Estados-membros, von der Leyen foi designada “por unanimidade com uma abstenção da minha parte”, disse na conferência de imprensa.

A chefe do Governo de Berlim disse que se absteve “devido às regras eleitorais alemãs”.

Os chefes de Estado e de Governo da União Europeia chegaram hoje a acordo sobre as nomeações para os cargos institucionais de topo, designando a alemã Ursula von der Leyen para a presidência da Comissão Europeia, anunciou Donald Tusk.

Anunciado pelo presidente do Conselho Europeu, e para além da nomeação do primeiro-ministro belga em funções, o liberal Charles Michel, para a presidência do Conselho Europeu, o compromisso alcançado ao fim de uma ‘maratona’ negocial, que se prolongou em Bruxelas ao longo de três dias, desde as 18:00 de domingo (menos uma hora em Lisboa), contempla ainda a designação do ministro socialista de Espanha, Josep Borrell, como responsável pela política externa e ainda da francesa Christine Lagarde para o Banco Central Europeu.

Com a designação de Ursula von der Leyen, muito próxima da chanceler Angela Merkel, o PPE, que presidiu à Comissão ao longo dos últimos 15 anos e que venceu as eleições europeias de maio, retém assim o mais ‘desejado’ dos cargos em negociação.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

(Gustavo Bom / Global Imagens )

Englobamento agrava IRS para rendimentos ‘protegidos’ pelo mínimo de existência

Salvador de Mello
( Álvaro Isidoro / Global Imagens )

Saúde não pode andar “ao sabor de ventos políticos”

Outros conteúdos GMG
Merkel sublinha importância de a UE ter demonstrado “grande unidade”