Energia

Mexia: “Não vamos vender nenhuma [central] para já”

António Mexia, CEO da EDP. (Fotografia: Sara Matos / Global Imagens)
António Mexia, CEO da EDP. (Fotografia: Sara Matos / Global Imagens)

A lista de ativos a vender só ficará fechada no final do ano.

“Não vamos vender nenhuma [central hídrica ou térmica] para já. Não está decidido nada”. Foi desta forma que o CEO da EDP, António Mexia, afastou esta terça-feira os rumores de que já estará tomada a decisão final sobre o plano de venda de ativos da empresa na Península Ibérica anunciado há cerca de duas semanas em Londres.

Mexia falava à margem do evento Energy Startups Matchmaking Day, que decorre na sede da EDP, com a presença de 29 startups escolhidas empresas parceiras, entre elas outras energéticas, mas também gigantes como a Microsoft, Cisco e Siemens.

A venda de ativos em Portugal e Espanha poderá render até 2022 mais de dois mil milhões de euros. Por definir estão as centrais das quais a EDP se quer desfazer primeiro, sendo certo que serão barragens e centrais térmicas e não térmicas em fim de vida. Mexia não revelou quais são nem quis falar sobre a OPA dos chineses da CTG sobre a EDP, e muito menos comentar as recentes declarações do embaixador americano que garantiu que Donald Trump nunca permitirá que o negócio avance.

Apesar do cenário de OPA e da queda do lucros em 53% em 2018, com prejuízos de 18 milhões em Portugal pela primeira vez em mais duas décadas, Mexia garante que a EDP mantém capacidade e interesse em investir em inovação e startups.

“Estamos num projeto muito interessante com o envolvimento de 29 startups escolhidas pela Comissão Europeia e a EDP foi escolhida como parceira local para fazer a ponte vários parceiros empresariais, empresas de energia e não só, como a Microsoft, Cisco, Siemens. É a isto que se chama inovação aberta”, disse Mexia.

“Estamos a gerir mais de 70 milhões de euros em 3 fundos de investimento para estas startups. Estamos a construir futuro. O strategic update que fizemos há duas semanas em Londres deixou claramente o mercado com uma visão de futuro, onde a EDP lidera na transição energética. Tudo o que estamos a fazer hoje tem a ver com transição energética”.

Quanto ao valor a investir no matchmaking day “depende”, diz Mexia. “Temos mais de 70 milhões em gestão. Os objetivos estão definidos e tudo depende da capacidade destas empresas nos entusiasmaram”.

Já António Vidigal, chairman da EDP Inovação, confirmou que a empresa tem 72 milhões de euros de venture capital para investir em startups, tendo já aplicado 34 milhões em cerca de 30 novas empresas.

Por ano a empresa investe cerca de 70 milhões de euros em Investigação e Desenvolvimento, explicou ao Dinheiro Vivo Luis Manuel, administrador da EDP Inovação. Em 2018 foram seis milhões em equity, valor que deverá quase duplicar para os 10 milhões de euros em 2019, anunciou. A EDP Inovação tem um fundo de capital de investimento no Brasil e também em Portugal.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

(Artur Machado / Global Imagens)

Dinheiro Vivo mantém-se líder digital dos económicos

O ex-diretor das Grandes Empresas da Caixa Geral de Depósitos, José Pedro Cabral dos Santos na II comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República. MÁRIO CRUZ

Cabral dos Santos apresenta carta a desmentir Berardo sobre créditos na CGD

Outros conteúdos GMG
Mexia: “Não vamos vender nenhuma [central] para já”