vinhos

México e Dinamarca são as novas apostas da ViniPortugal

Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal. Fotografia: Direitos Reservados
Jorge Monteiro, presidente da ViniPortugal. Fotografia: Direitos Reservados

Plano de promoção internacional da marca 'Wines of Portugal' contempla 6,5 milhões de euros

A ViniPortugal conta com 6,5 milhões de euros para promover, no próximo ano, os vinhos portugueses no mundo, valor que sobe para 14 milhões se contabilizarmos as verbas que as várias comissões de viticultura regional vão alocar ao mesmo fim. Dinamarca e México são as duas novas apostas da Associação Interprofissional para a Promoção dos Vinhos Portugueses, elevando para 16 os mercados estratégicos do sector.

Estados Unidos, Canadá, Brasil e China mantêm-se como os quatro mercados principais da estratégia de comunicação da ViniPortugal, absorvendo 60% do investimento total, ou seja, qualquer coisa como quatro milhões de euros. Mas esta entidade está apostada em levar a marca Wines of Portugal a um “número cada vez mais crescente de destinos de exportação” e, por isso, em 2019, haverá iniciativas para dar a conhecer os vinhos nacionais em terras dinamarquesas e mexicanas.

Porquê estes mercados? “A escolha resultou de uma discussão que fizemos com o sector. O México é um dos mercados que tem estado fora do radar dos vinhos portugueses, mas que apresenta, segundo fontes internacionais, um grande potencial de crescimento, sem colocar grandes barreiras de acesso. E tem alguma proximidade linguística”, explicou ao Dinheiro Vivo o presidente da ViniPortugal. Entidade que aproveitou o destaque dado a Portugal na Feira Internacional do Livro de Guadalajara, que decorreu nesta cidade mexicana de 24 de novembro a 2 de dezembro, para aí organizar duas provas de vinhos.

Leia, também, Portugal é o 9º maior exportador mundial de vinho

Quanto à Dinamarca, Jorge Monteiro justifica a escolha com o “crescente interesse” dos consumidores dinamarqueses pelos vinhos portugueses, o que leva a ViniPortugal a apostar numa ação de “reposicionamento” no mercado, contrariando a associação dos vinhos portugueses a produtos de baixo preço. “Há uma tendência para uma melhor valorização dos nossos vinhos que queremos aproveitar”, frisa.

O plano de promoção para 2019 tem, também, uma maior aposta em provas diretas ao consumidor. “Ao atingirmos uma distribuição consistente em mercados relevantes, como é o caso dos Estados Unidos, do Canadá e do Brasil, estamos em condições de dar um novo passo e levar o vinho até ao consumidor final. Em 2019 vamos apostar mais neste tipo de iniciativas, que dão notoriedade à marca Wines of Portugal, e reduzir um pouco as ações para profissionais em alguns mercados”, explica Jorge Monteiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Greve de motoristas de matérias perigosas parou o país, em abril. 
(MÁRIO CRUZ/LUSA

Nova greve dos camionistas dia 12. Pré-aviso já foi entregue

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Assunção Cristas e Bruno Bobone, na sede da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa, nos Restauradores
(ANTÓNIO COTRIM/LUSA)

Cristas apela a empresários para darem mais força à oposição

Outros conteúdos GMG
México e Dinamarca são as novas apostas da ViniPortugal