Microempresas de turismo com linha de crédito de 60 milhões

Era uma das medidas pedidas pelo setor devido às características destas empresas. Agentes também pediam critérios diferentes para o lay-off.

As microempresas do turismo vão ter uma linha de crédito específica no valor de 60 milhões de euros para fazer face ao surto do novo coronavírus.

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, considerou que "a falta de liquidez será o maior problema" das empresas, que precisam de "acesso a meios de financiamento para mais tarde poderem reembolsar".

"O que podemos fazer é colocar dinheiro na caixa das empresas por forma a preservarem a sua capacidade produtiva", declarou o governante na conferência de imprensa do Conselho de Ministros, que começou já perto da 01h00 - uma reunião do executivo que foi interrompida ao final da manhã de quinta-feira para que o primeiro-ministro, António Costa, reunisse com os todos os partidos com assento parlamentar -, tendo sido anunciadas as medidas adotadas pelo Governo para fazer face ao novo coronavírus.

Por isso, depois de já ter anunciado uma linha de crédito de apoio à tesouraria das empresas de 200 milhões de euros, o executivo avançou com um específico para as microempresas do setor do turismo, afetadas pela queda das reservas e cancelamento tanto para as férias da Páscoa como para o verão.

As empresas e associações do setor tinham-se reunido com Siza Vieira na terça-feira onde pediram medidas específicas, incluindo critérios mais flexíveis para o acesso ao lay-off, mas o governo optou por esta solução.

O ministro da Economia referiu ainda medidas como o lay-off (suspensão temporária dos contratos de trabalho) em empresa em situação de crise empresarial, no valor de dois terços da remuneração, assegurando a Segurança Social o pagamento de 70% desse valor, sendo o remanescente suportado pela entidade empregadora, um regime excecional e temporário de isenção do pagamento de contribuições à Segurança Social durante o período de lay-off por parte de entidades empregadoras e medidas de aceleração de pagamentos às empresas pela Administração Pública.

Na conferência de imprensa do Conselho de Ministros foram anunciadas as medidas adotadas pelo governo para fazer face ao novo coronavírus, como o encerramento de escolas e de discotecas e a limitação do número de pessoas em centros comerciais e serviços públicos e a proibição de desembarque dos passageiros estrangeiros de cruzeiros que podem atracar.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de