Conferência

Ministro Pedro Siza Vieira apela à China para se tornar “investidor ativo”

A carregar player...

Ministro apela ao investimento chinês nos setores automóvel e da mobilidade elétrica.

O Ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, anunciou esta esta segunda-feira na conferência “Road To China”, em Lisboa, que durante a visita esta semana do presidente chinês a Portugal serão assinadas várias ferramentas de cooperação em vários setores.

“A China é um parceiro comercial importante de Portugal. É o 13º cliente e o 6º fornecedor de bens. A balança comercial tem vindo a crescer”, disse Siza Vieira.

Do lado português, o ministro salientou que a China deverá passar de investidor direto em participações de capital a “investidor ativo” em áreas como os setores automóvel e da mobilidade elétrica.

O ministro disse também que quer ver crescer as exportações portuguesas para a China, sobretudo na moda, bens de consumo e agroalimentar. Na mira estão também investimentos chineses nos portos portugueses e na ferrovia.

No Turismo, Siza Vieira vê com bons olhos a quantidade de turistas chineses que já visitam Portugal mas quer ver este número crescer ainda mais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

O ministro das Finanças, Mário Centeno, intervém durante a  conferência "Para onde vai a Europa?", na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, 22 de março de 2019. MÁRIO CRUZ/LUSA

Próximo governo vai carregar mais 8 mil milhões em dívida face ao previsto

Motoristas de matérias perigosas em greve concentrados na Companhia Logística de Combustiveis - CLC.
Fotografia: Paulo Spranger / Global Imagens

Combustíveis. Sindicato conseguiu mais 200 sócios com greve

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Ministro Pedro Siza Vieira apela à China para se tornar “investidor ativo”