Ministros da União Europeia debatem Ucrânia e novas sanções à Rússia na quinta-feira

Rui Machete irá representar Portugal
Rui Machete irá representar Portugal

Os ministros dos Negócios Estrangeiros (MNE) europeus reúnem-se na quinta-feira à tarde num Conselho de Ministros extraordinário para discutir o agravamento da situação no Leste da Ucrânia e a possível adoção de novas sanções contra a Rússia.

Os chefes da diplomacia dos 28 vão reunir-se na sequência do bombardeamento, no sábado, na cidade ucraniana de Mariupol, que mataram 30 civis.

A reunião dos MNE , na qual Portugal estará representado pelo ministro Rui Machete, antecede um Conselho Europeu informal, agendado para 12 de fevereiro, em que o conflito na Ucrânia será debatido.

Na terça-feira, o Conselho Europeu emitiu um comunicado, em nome dos 28, condenando o agravamento dos conflitos e apontando o dedo ao apoio de Moscovo aos rebeldes separatistas.

No mesmo dia, o novo primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse, também através de um comunicado, não ter sido contactado sobre a declaração conjunta, da qual salientou discordar.

O gabinete do presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, garantiu, por seu lado, que os procedimentos habituais “foram respeitados” e que em casos como este o silêncio de um país é tomado por concordância.

As autoridades de Kiev responsabilizaram as milícias separatistas pró-russas pelo bombardeamento de Mariupol. Os rebeldes haviam anunciado, pouco antes do ataque, uma ampla ofensiva em todo o leste da Ucrânia.

As acusações do Governo ucraniano foram apoiadas por uma missão de observadores da Organização para a Cooperação e Segurança na Europa (OSCE), que se deslocou ao local e constatou que o ataque foi realizado com lança-mísseis, disparados das zonas controladas pelos rebeldes pró-russos.

Os observadores internacionais assinalaram que os mísseis foram disparados de uma distância de 19 a 15 quilómetros em relação ao local onde caíram, de localidades a leste e noroeste de Mariupol, que está nas mãos dos separatistas.

Uma trégua foi assinada em setembro na capital da Bielorrússia, Minsk, mas rapidamente violada.

O conflito armado no leste da Ucrânia já fez mais de 5.000 mortos, desde que teve início em abril, segundo dados da ONU.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

João Lousada no deserto de Omã como astronauta análogo, em 2018

João Lousada. Conheça o primeiro português a liderar a Estação Espacial

Fotografia: REUTERS/Henry Nicholls - RC122C9DD810

Cartas de Boris Johnson causam surpresa e perplexidade em Bruxelas

Outros conteúdos GMG
Ministros da União Europeia debatem Ucrânia e novas sanções à Rússia na quinta-feira