Turismo

Missão empresarial procura oportunidades no turismo em Cabo Verde

Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.
(PAULO SPRANGER/Global Imagens)
Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho. (PAULO SPRANGER/Global Imagens)

A missão decorre na próxima semana e começa com a participação da comitiva no Fórum de Investimento de Cabo Verde, na ilha do Sal.

Uma dezena de empresários portugueses do setor turístico deslocam-se na próxima semana a Cabo Verde para identificar oportunidades de investimento e internacionalização, numa missão liderada pela secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.

A missão decorre entre segunda e quarta-feira (01 a 03 de julho) e começa com a participação da comitiva no Fórum de Investimento de Cabo Verde, na ilha do Sal.

Em declarações à agência Lusa, a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, destacou o número e a diversidade das empresas que aderiram à missão.

“Temos empresas hoteleiras e operadores turísticos. Temos dois tipos de empresas que vão ver oportunidades de investimentos em Cabo Verde, quer no âmbito do Revive e da recuperação do património histórico que fala português quer também em termos de investimentos em construção nova ou mesmo de operação turística”, disse.

A missão empresarial prossegue depois nas ilhas de Santiago e de São Vicente.

Ao abrigo do Programa Revive, cujo protocolo entre Portugal e Cabo Verde foi assinado em março, decorre atualmente a identificação dos imóveis que poderão integrar o Revive Cabo Verde.

“Claramente as Pousadas de Portugal estão interessadas em ser parceiras no âmbito do Revive para Cabo Verde e aqui o objetivo é visitar imóveis históricos. Já há alguns imóveis identificados que vão ser visitados para ver se têm condições para a implementação do Revive”, adiantou Ana Mendes Godinho, sem divulgar os imóveis em causa.

A secretária de Estado considerou que Cabo Verde “é um destino natural” para a internacionalização das empresas portuguesas, assinalando o “‘know how’ histórico” e a “grande proximidade entre investidores cabo-verdianos e portugueses”.

“É um mercado natural de internacionalização das empresas turísticas. Cabo Verde está a apostar muitíssimo no turismo como instrumento de desenvolvimento económico e no posicionamento como um ‘hub’ de transporte aéreo em África e, para as nossas empresas, é uma oportunidade boa para crescerem num mercado onde o facto de termos a língua portuguesa em comum temos logo uma facilidade de desenvolvimento de novos projetos”, reforçou.

Durante a deslocação a Cabo Verde será ainda assinada uma parceria entre as empresas portuguesas Neivagest e Água Hotels para a instalação de um centro de distribuição alimentar na ilha do Sal, com o objetivo de abastecer os empreendimentos hoteleiros daquela que é a ilha mais turística do país.

Integram a missão a Cabo Verde representantes dos grupos Lux Hotels, Água Hotels, NeivaGest, Pestana, Hoti Hotéis, Monfortour, Solférias, Pousadas de Portugal/Pestana e Oásis Atlântico Hotéis.

Participa também na missão a Confederação do Turismo de Portugal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Sarah Costa/Global Imagens

Tomás Correia, Montepio e BNI Europa. O que está por detrás das buscas

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão (E), fala durante a sua audição perante a Comissão de Orçamento e Finanças, conjunta com a Comissão de Administração Pública, Modernização Administrativa, Descentralização e Poder Local, na Assembleia da República, em Lisboa, 17 de janeiro de 2020. JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

Governo volta a negociar aumentos de 2020 com funcionários públicos

Greve escola função pública

Último ano da geringonça foi o de maior contestação na função pública

Missão empresarial procura oportunidades no turismo em Cabo Verde