Moedas: “Executámos 400 reformas nestes dois anos e meio”

Carlos Moedas
Carlos Moedas

Carlos Moedas sublinhou hoje a importância das reformas estruturais para a recuperação económica de Portugal. A participar no Lisbon Summit, em Cascais, o governante, afirmou que foram executadas mais de 400 medidas que estavam no programa de ajustamento e não só.

“Conseguimos nestes dois anos e meio executar 400 medidas de reforma contidas no memorando. Foi uma média de três por semana”, garantiu o responsável, adiantando que “os resultados [destas mesmas reformas] já vêm a ser sentidos”

Carlos Moedas lembra ainda que “poucos têm presente que o memorando [de entendimento] continha centenas de reformas da economia e que o programa de governo continha dezenas de reformas adicionais”.

No total de reformas aplicadas, o secretário de Estado adjunto recorda na área judicial um novo código de Processo Civil e um novo Código de Insolvências; na concorrência a nova lei da concorrência alinhada às “melhores práticas europeias”. Além disso, “foi criado um novo tribunal especializado; feitas alterações profundas ao nível do licenciamento das atividades económicas; simplificámos o licenciamento; alterámos o Código do Trabalho em parte com o apoio dos sindicatos; lançámos novas políticas de emprego e um novo dinamismo no mercado de arrendamento”.

Ou seja, “poucas áreas ficaram de fora da agenda de transformação estrutural”, detalhou o responsável, adiantando que ainda há “muito trabalho pela frente”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes. MÁRIO CRUZ/LUSA

Famílias ficam com um pouco mais de salário ao final do mês

Miguel Almeida, CEO da NOS

Comité de Ética da NOS vai ouvir os administradores envolvidos no Luanda Leaks

O Presidente da República de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, discursa durante a cerimónia de tomada de posse do XXII Governo Constitucional, liderado pelo secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, no Palácio da Ajuda, em Lisboa, 26 de outubro de 2019. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: É bem-vindo a Portugal todo o investimento no respeito da legalidade

Moedas: “Executámos 400 reformas nestes dois anos e meio”