Moscovici avisa Itália. Furar limite de 3% do défice é ir contra a História

Moscovici considerou que a possibilidade de a Itália ultrapassar o limite de 3% de défice "seria ir contra a corrente no que respeita à História".

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, considerou hoje numa entrevista que a possibilidade de a Itália ultrapassar o limite de 3% de défice "seria ir contra a corrente no que respeita à História".

Numa entrevista ao jornal italiano 'La Stampa', o comissário europeu com o pelouro da economia e finanças públicas considerou que a possibilidade de a Itália ultrapassar o limite de 3% de défice orçamental face ao Produto Interno Bruto equivale a "ir contra a corrente no que respeita à História".

Na entrevista, Moscovici disse que procurar uma isenção face a uma das duas regras de ouro do Pacto de Estabilidade e Crescimento (limite de défice de 3% e dívida pública nos 60% do PIB) seria como se a Itália quisesse "dançar sozinha", já que todos os países europeus estão abaixo desse rácio e com as economias a crescer.

O 'aviso' de Moscovici surge no contexto da pré-campanha para as eleições legislativas, que vão realizar-se a 04 de março deste ano, com algumas forças políticas a sugerirem que estas regras europeias podem não ser cumpridas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de