Consumo

Poder de compra: apenas 11% dos municípios ficaram acima da média em 2015

Fotografia: Rui Oliveira  / Global Imagens
Fotografia: Rui Oliveira / Global Imagens

Apenas 11% dos 308 municípios do país registaram um índice de poder de compra per capita acima da média nacional, em 2015

Apenas 11% dos 308 municípios do país registaram um índice de poder de compra per capita acima da média nacional, em 2015, um ano em que o município de Lisboa liderou, com um valor de 214,5, mais do que duplicando o índice nacional, anunciou o Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

No conjunto do território nacional, 147 municípios, ou 48% do total de municípios, apresentavam valores de índice de poder de compra inferiores a 75. Dos 10 municípios com menor poder de compra per capita manifestado, oito pertenciam ao Interior das regiões Norte e Centro – distribuindo-se pelas sub-regiões Tâmega e Sousa, Alto Tâmega, Douro, Terras de Trás-os-Montes e Viseu Dão Lafões – e dois à Região Autónoma da Madeira.

“Em 2015, em 33 dos 308 municípios portugueses, o poder de compra per capita situava-se acima da média nacional, destacando-se valores de índice de poder de compra mais elevados nos territórios metropolitanos de Lisboa e do Porto”, anunciou o INE no relatório com os resultados do ‘Estudo sobre o poder de compra conselhio de 2015’.

“O indicador percentagem de poder de compra revela que 23 municípios concentravam 50% do poder de compra nacional e que os 35 municípios que integram as duas áreas metropolitanas do país ultrapassavam este limiar ao concentrarem 51% do poder de compra nacional”, adianta.

Nas 14 primeiras posições correspondentes a um índice de poder de compra superior a 110, encontravam-se ainda mais três municípios da Área Metropolitana de Lisboa: Oeiras com 157,1, Cascais com 122,7 e Alcochete com 118,2.

A Área Metropolitana do Porto apresentava um valor de índice de poder de compra de 104,8, aquém do valor da Área Metropolitana de Lisboa 124,7, mas acima da média nacional.

Além dos territórios metropolitanos, também os municípios correspondentes a algumas capitais de distrito revelavam um poder de compra per capita superior à média nacional, com relevância para Faro com 132,1, Coimbra com 131,5, Aveiro com 125,1 e Évora com 116,4. Com resultados acima do limiar de 110 encontravam-se ainda os municípios de Sines, com 133,5, no Alentejo Litoral, e do Funchal, com 115,3, na Região Autónoma da Madeira.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Poder de compra: apenas 11% dos municípios ficaram acima da média em 2015