Inflação pode colocar mais de dois milhões de portugueses abaixo do limiar da pobreza

A subida dos preços dos alimentos e da energia deverá atingir "duramente" as famílias mais pobres e o impacto será "desproporcional" em termos sociais, variando de país para país, segundo um estudo do BEI.

O agravamento da Inflação pode fazer subir risco de pobreza acima de 20%, dá conta o Jornal de Negócios esta sexta-feira, citando um estudo do Banco Europeu de Investimento (BEI). Devido ao aumento dos preços dos bens essenciais, mais de dois milhões de portugueses correm o risco de ficar abaixo do limiar da pobreza ou em risco de exclusão social.

A subida dos preços dos alimentos e da energia "vai atingir duramente as famílias mais pobres" e o impacto será "desproporcional" em termos sociais, dependendo de país para país da União Europeia. Quanto a Portugal, a previsão do BEI refere que a percentagem de população cujo rendimento (por adulto equivalente), após transferências sociais, se encontra abaixo da linha de pobreza aumente para 21,17% este ano (são mais 1,2 pontos percentuais face a 2020, ou seja, mais 115 mil portugueses em risco de pobreza ou exclusão social).

Na origem do problema está a guerra na Ucrânia, que tem sido o grande acelerador da inflação e do restante contexto macroeconómico na Europa, de acordo com o mesmo jornal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de