989 mortos e 25 045 casos confirmados de covid-19 em Portugal

Já há 989 mortos e 25 045 casos de covid-19 em Portugal, segundo dados divulgados esta quinta-feira no boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde (DGS). Mais 16 óbitos e 540 casos confirmados em 24 horas.

São já 1519 os doentes que recuperaram (mais 49 em 24 horas). Há 968 pessoas infetadas internadas (menos 12), 172 nos cuidados intensivos (mais três).

O relatório de situação da DGS aponta agora para 247 685 casos suspeitos desde o início do ano, dos quais 218 846 não confirmados e 3794 pessoas a aguardar resultado laboratorial. Estão em vigilância pelas autoridades de saúde 29 467 pessoas em Portugal.

O Norte regista o maior número de óbitos, 556, seguindo-se a região centro com 198, Lisboa e Vale do Tejo com 199, o Algarve com 13, os Açores com 12 e o Alentejo com um morto. Na Madeira não há mortos a lamentar.

São seis os concelhos em Portugal com mais de 1000 casos confirmados: Lisboa lidera com 1465, seguem-se Vila Nova de Gaia com 1374, Porto com 1219, Matosinhos com 1127, Braga com 1063 e Gondomar com 1000. Saiba quantos são os casos de covid-19 por concelho.

Bares, discotecas e ginásios continuam encerrados em maio

Ministro da Economia garante que o fornecimento de máscaras estará assegurado para a reabertura gradual da economia.

“Durante o mês de maio vão continuar encerrados bares, discotecas, ginásios”, indicou Pedro Siza Vieira em entrevista ao programa Negócios da Semana da SIC-Notícias, justificando com a necessidade de manter o distanciamento social. Ver mais aqui.

Governo falhou expetativas no pagamento do ‘lay-off’

O ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira, admitiu na quarta-feira que o Governo falhou as expectativas ao não assegurar o pagamento do ‘lay-off’ até ao dia 28 de abril, estimando que tudo estará processado até 5 de maio.

“Sinto. Gostava de enquadrar isso. Em primeiro lugar dizer que já foram efetuados pagamentos nos dias 24 e 28 e serão feitos mais pagamentos às empresas hoje e a 05 de maio. Estes pagamentos dizem respeito aos pedidos de ‘lay-off’ que entraram antes do dia 10 de abril. Foi virtualmente impossível à máquina da Segurança Social processar todos os pagamentos que entraram depois e assegurar os pagamentos nas datas a que, originalmente, gostaríamos de tê-lo feito”, disse. Leia mais aqui.

Os sintomas do novo coronavírus:

Coronavírus - sintomas

LEIA AQUI TODA A COBERTURA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de