Adeus definitivo ao escudo. Últimas 11,4 milhões de notas vão prescrever 

Aproxima-se o fim do prazo para a troca da última série de notas de escudo - 28 de fevereiro de 2022. Depois dessa data perdem validade.

São 95 milhões de euros em notas de escudo que ainda estão na posse dos consumidores. Mas o prazo para a troca da última série de notas de escudo está a aproximar-se. Os consumidores têm até ao dia 28 de fevereiro de 2022 para trocar as notas por euros. Depois dessa data já não terão validade e não poderão ser trocadas.

Estão em causa 11,4 milhões de notas que se dividem em notas de 500 escudos, 1000 escudos, 2000 escudos, 5000 escudos e 10 000 escudos. O seu valor em euros vai de 2,49 euros, no caso da nota dos 500 escudos, aos 49,88 euros, na nota de 10 000 escudos, tendo em conta a conversão fixada aquando da entrada em vigor da moeda europeia, de 200,482 euros por cada euro.

Trata-se de notas da série emitida a partir de 1996 alusiva às comemorações do quinto centenário dos Descobrimentos e da autoria de Luís Filipe Abreu. O fim do prazo para a troca da última série de notas de escudo coincide com o vigésimo aniversário da entrada em circulação do euro.

Nos primeiros dois meses em que esteve em circulação física, o euro coexistiu com as divisas nacionais de cada país da área da moeda única. Mas a partir de 1 de março de 2002 as divisas nacionais, incluindo o escudo, deixaram de ser usadas. O euro foi criado em 1 de janeiro de 1999 e começou a circular no dia 1 de janeiro de 2002 em 12 Estados-membros. Atualmente, o euro é a moeda legal em 19 países dos 27 Estados membros.

Em 28 de fevereiro de 2002, data em que deixaram de poder ser utilizadas em pagamentos - fim do curso legal e do poder liberatório - , estavam na posse do público 15,1 milhões de notas desta série, tendo apenas 24% e 40%, respetivamente, dessa quantidade e valor retornado ao Banco de Portugal até ao final outubro de 2021.

Os consumidores podem proceder à troca destas notas por euros presencialmente nos balcões do Banco de Portugal ou por correio registado, sendo que a data do registo tem de ser até 28 de fevereiro. Mesmo as notas que se encontrem danificadas podem ser trocadas, desde que conservem, pelo menos, 75% da sua integridade.

Se a troca for efetuada por correio, o envio das notas terá de ser feito em dois envelopes: um fechado com as notas no interior que é colocado dentro do segundo envelope a enviar ao Banco de Portugal. O envelope com o numerário tem de conter informação com os dados do consumidor, incluindo nome e morada, e também um número de IBAN para poder ser efetuada a transferência do valor correspondente em euros.

Da última vez em que expiraram notas de escudo, registaram-se filas de pessoas junto aos balcões do Banco de Portugal nos últimos dias do prazo fixado, já que muitos consumidores deixaram para a última hora a realização da troca de notas. O prazo das notas expirava no dia 1 de janeiro de 2018 e os consumidores tinham até 29 de dezembro para poderem efetuar a troca do numerário.

As notas de escudo que ainda estão na posse de consumidores estarão nas mãos de colecionadores, no estrangeiro ou perdidas, nomeadamente em cheias ou incêndios.

Nos primeiros dez meses deste ano, o Banco de Portugal trocou 20 mil notas de escudo por euros. As notas que vão agora prescrever e que podem ser ainda trocadas no Banco de Portugal contêm imagens de figuras ligadas aos Descobrimentos. A nota de 10 000 escudos tem a figura do infante D. Henrique. A nota de 5000 foi dedicada a Vasco da Gama, comandante da missão de descoberta do caminho marítimo para a Índia. Bartolomeu Dias, primeiro navegador europeu a dobrar o cabo da Boa Esperança, surge na nota de 2000 escudos. Na nota de 1000 escudos está Pedro Álvares Cabral, comandante da armada que descobriu o Brasil. A nota de 500 escudos foi dedicada a João de Barros, autor de crónicas históricas sobre os Descobrimentos.

Quanto valem as notas?


500 escudos = 2,49 euros.

1000 escudos = 4,99 euros.

2000 escudos = 9,98 euros.

5000 escudos = 24,94 euros.

10 000 escudos = 49,88 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de