Alunos vão pagar até 285 euros para ficar em hotéis e alojamento local

Acordo com associações de alojamento local, hotéis e pousadas permitirá acrescentar 4500 camas ao mercado neste ano letivo.

Com as residências estudantis a perder 15% dos lugares devido às orientações da Direção-Geral de Saúde, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) assinou um acordo que permitirá acrescentar 4500 camas para estudantes do ensino superior.

Segundo avança o jornal Público esta segunda-feira, dia 21, este acordo permitirá aumentar em 16% o número de camas disponíveis para os estudantes deslocados, recorrendo a hotéis, pousadas e alojamento local. Os preços serão regulados e variam consoante a zona do país.

No caso dos concelhos de Lisboa, Cascais e Oeiras, o preço máximo que os estudantes deslocados poderão pagar é de 285 euros. Já no Porto, Amadora, Almada, Odivelas e Matosinhos a mensalidade estará fixa nos 263 euros. No caso do Funchal, Portimão, Vila Nova de Gaia, Barreiro, Faro, Setúbal, Maia, Coimbra, Aveiro e Braga a mensalidade ficará nos 241 euros. Para os estudantes que estudem noutros concelhos, o preço será de 219 euros.

Ainda assim, o Público sublinha que o Ministério do Ensino Superior deixa margem para confirmação final dos valores, que "terão de ser confirmados e concretizados individualmente e após os contactos pelos próprios estudantes", indicou o MCTES.

O anúncio surge após acordos com a Movijovem, entidade que gere as pousadas da juventude, e associações e estruturas de alojamento local e hotéis.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de