Cinco associações unem-se para apoiar internacionalização do setor agroalimentar

O projeto tem como mercados-alvo a Alemanha, Países Baixos, Bélgica, Luxemburgo e Espanha.

Dinheiro Vivo/Lusa
 © Orlando Almeida/Global Imagens

Cinco associações empresariais de Castelo Branco, Viseu, Guarda, Bragança e Vila Real avançaram com um projeto cujo objetivo é melhorar a competitividade das empresas do setor agroalimentar e alavancar o seu crescimento internacional, foi anunciado esta quinta-feira.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Associação Empresarial da Beira Baixa (AEBB) refere que o projeto "Terras Altas de Portugal 2.0" tem como mercados-alvo a Alemanha, Países Baixos, Bélgica, Luxemburgo e Espanha.

"Este grupo de países, à exceção do Luxemburgo, fazem parte do "top 10" dos países importadores de produtos portugueses do setor agroalimentar", sublinha a nota.

O objetivo central do projeto é promover a competitividade das empresas por via da internacionalização, "através de uma ação coletiva capaz de promover o reconhecimento internacional da imagem de Portugal, associado à qualidade e sustentabilidade dos seus produtos de excelência, sofisticação e inovação, destacando a singularidade da oferta "Terras Altas de Portugal"".

Financiado pelo programa europeu Compete2020 (Programa Operacional Competitividade e Internacionalização) para empresas do setor agroalimentar, as fileiras alvo são a vitivinícola, olivícola, carnes e enchidos, horto frutícola, queijo e recursos silvestres (mel e cogumelos, entre outros) das regiões das Beiras e Serra da Estrela, Beira Baixa, Viseu Dão Lafões, Douro e Terras de Trás os Montes.

Para atingir os objetivos a que se propõe, o "Terras Altas de Portugal 2.0" pretende desenvolver uma plataforma de apoio à internacionalização das pequenas e médias empresas (PME), desenvolver ações de prospeção internacionais, realizar visitas de reconhecimento de prospetores internacionais, elaborar guias de mercado e participar em feiras internacionais e outras ações de promoção internacional.

"Com este projeto pretende-se melhorar a competitividade das empresas do setor agroalimentar e alavancar o seu crescimento internacional, promovendo oportunidades de negócios, assim como proporcionar experiências de internacionalização, através da participação em "roadshows" e missões inversas", refere o comunicado.

Segundo a AEBB, pretende-se ainda a criação de uma rede de suporte e de cooperação entre as empresas e com entidades parceiras, que se mantenha para além do "terminus" do projeto.

Além da AEBB, integram o projeto "Terras Altas de Portugal 2.0", as associações empresariais da Região da Guarda (NERGA), de Viseu (AIRV), do distrito de Bragança (NERBA) e Vila Real (NERVIR).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG