Juro do crédito à habitação mantém tendência de descida

O capital médio em dívida aumentou em agosto 325 euros. A prestação subiu 1 euro, para 236 euros.

Dinheiro Vivo
 © Artur Machado/GI

A taxa de juro implícita nos contratos de crédito à habitação foi 0,792% em agosto, registando uma descida face aos 0,800% do mês anterior, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Esatística (INE).

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro subiu de 0,674% em julho para 0,689% em agosto.

Segundo o INE, o capital médio em dívida aumentou em agosto 325 euros, fixando-se em 57 115 euros. A prestação média subiu 1 euro, para 236 euros.

Para os contratos celebrados nos últimos 3 meses, o montante médio do capital em dívida foi 117 960 euros, mais 1 145 euros que em julho.

Para o aquisição de habitação, a taxa de juro implícita para o total dos contratos desceu para 0,807% (-0,9 p.b. face a julho).

Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro aumentou, fixando-se em 0,679% (0,670% no mês anterior).

Considerando a totalidade dos contratos, o valor médio da prestação subiu 1 euro, para 236 euros. Deste valor, 38 euros (16%) correspondem a pagamento de juros e 198 euros (84%) a capital amortizado.

Nos contratos celebrados nos últimos 3 meses, o valor médio da prestação subiu 19 euros, para 304 euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG