Preços da habitação em Lisboa recuperam da variação negativa do primeiro trimestre

No segundo trimestre deste ano, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi de 1268 euros por metro quadrado, o que representa mais 6,8% do que no período homólogo.

Bruno Contreiras Mateus
Lisboa recuperou da variação negativa dos preços da habitação (Imgem de arquivo) © Filipa Bernardo/Global Imagens

A cidade de Lisboa recuperou, no segundo trimestre deste ano, da variação negativa dos preços da habitação observada no trimestre anterior, mas manteve um crescimento homólogo (+1,4%) muito inferior ao registado a nível nacional (+6,8%), segundo anunciou esta quinta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

No segundo trimestre, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi de 1268 euros por metro quadrado, o que representa mais 6,8% do que no período homólogo e um crescimento de 3,1% face ao trimestre anterior. "Esta aceleração dos preços verificou-se também nas subregiões com preços medianos da habitação superiores ao do país - Região Autónoma da Madeira (+10,1 p.p.), Área Metropolitana de Lisboa (+5,6 p.p.) e Área Metropolitana do Porto (+0,4 p.p.) -, com exceção do Algarve (-0,5 p.p.)",destaca o INE nas 'Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local'.

Os preços das casas aceleraram em nove dos 11 municípios com mais de 100 mil habitantes na Área Metropolitana de Lisboa, de forma mais acentuada do que a nível nacional (+3,7 p.p.), destacando-se "Lisboa (+9,3 p.p.), Setúbal (+7,1 p.p.), Vila Franca de Xira (+7,0 p.p.) e Cascais (+4,7 p.p.)".

Já na Área Metropolitana do Porto, dois dos seis municípios com mais de 100 mil habitantes registaram uma aceleração dos preços das casas superior à média do país: são eles Maia (+6,7 p.p.) e Gondomar (+6,3 p.p.).

Em sentido oposto, nestas duas regiões do país, "Porto (-11,6 p.p.) e Oeiras (-6,4 p.p.) registaram as reduções mais significativas das taxas de variação
homóloga, entre os municípios das áreas metropolitanas".

<strong>Os preços das casas no país</strong>

Como já vimos, no segundo trimestre de 2021, o preço mediano das casas vendidas em Portugal foi de 1268 euros por metro quadrado, um "valor que representa um crescimento de 2,2% face ao 1º trimestre de 2021 e de 6,8% relativamente ao 2º trimestre de 2020. O aumento da taxa de variação homóloga entre o 1º trimestre de 2021 e o 2º trimestre de 2021, de 3,1% para 6,8%, evidencia uma aceleração dos preços da habitação, interrompendo a desaceleração verificada no último trimestre".

Algarve (com 1875 €/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1757 €/m2), Região Autónoma da Madeira (1460 €/m2) e Área Metropolitana do Porto (1333 €/m2) são as quatro sub-regiões com os preços mais elevados das casas no país. Mas a evolução destes valores foi distinta. "A Região Autónoma da Madeira e a Área Metropolitana do Porto, em conjunto com o Alentejo Litoral (1 254 €/m2), apresentaram as taxas de variação homóloga mais elevadas (+11,5%) entre as 25 NUTS III do país. A Área Metropolitana de Lisboa (+9,7%) também apresentou uma variação homóloga superior à verificada no país, enquanto no Algarve (+3,8%) a variação dos preços situou-se abaixo daquele referencial", destaca o INE.

"Entre as 25 NUTS III do país, treze registaram uma diminuição homóloga dos preços da habitação, destacando-se a sub-região Beira Baixa (-16,2%). O Alto Alentejo apresentou o menor preço mediano de venda de alojamentos familiares (436 €/m2)."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG