Consumo disparou mais de 32% este verão

Gastos de turistas estrangeiros cresceram 82%, com os franceses a liderarem o consumo pago em cartão. Mas foram os irlandeses que mais gastaram.

O verão ficou marcado pelo regresso dos turistas estrangeiros e, em consequência, do aumento da faturação das empresas. Entre 1 de julho e 15 de setembro, há a registar um aumento de 32,2% nas vendas pagas por cartão eletrónico, quando comparado com o mesmo período de 2021.

Os dados constam do relatório da Reduniq, divulgado esta quinta-feira, que justifica este aumento com o incremento homólogo de 82,5% dos pagamentos pagos por cartões estrangeiros, assim como o aumento de 19,6% por nacionais.

Os franceses lideraram o consumo neste verão. Segundo o estudo, representam a maior fatia dos pagamentos estrangeiros em Portugal, 18% do total, embora com uma diminuição de sete pontos percentuais no peso total da faturação internacional.

Logo a seguir, surge o Reino Unido (14% do total da faturação estrangeira), a Irlanda (11%), os Estados Unidos (10%), e Espanha (9%).

No entanto, foram os irlandeses que mais gastaram nas férias em Portugal, com um valor médio de compra de 112 euros. Os Estados Unidos foram o segundo país com a transação média mais elevado, cerca de 71 euros. No top cinco, segue-se o Reino Unido (48 euros), França (46 euros) e Espanha (40 euros).

Já os negócios que mais beneficiaram deste incremento do turismo foram o rent-a-car, que cresceu 85% neste verão face ao período homólogo, a hotelaria, com um aumento de 71% e a restauração, mais 50%.

O relatório Reduniq Insights dá conta que o impulso nestas atividades deveu-se essencialmente aos turistas estrangeiros, que contribuíram para aumentar em 117% a faturação da hotelaria, em 110% a do rent-a-car e em 98% a da restauração.

Lisboa, Açores, Faro, Madeira e Porto foram os distritos que mais pagamentos registaram, apresentando crescimentos de faturação de 43%, 36%, 36%, 32% e 28%, respetivamente.

Para Tiago Oom, Diretor Comercial da Unicre e porta-voz oficial do Reduniq Insight, esta performance do consumo deve-se ao facto "de este ter sido o primeiro verão sem a aplicação de restrições à circulação de cidadãos entre países derivado do controlo da pandemia", bem como ao cenário inflacionista que tem promovido "o aumento generalizado de produtos e serviços ligados ao setor turístico".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de