Costa afirma que "é natural" que desconfinamento comece pelas escolas

Na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, António Costa indica que, conforme o encerramento de escolas foi a última medida a ser tomada, é "natural" que a reabertura do ensino seja um dos primeiros momentos de desconfinamento.

António Costa indica que "é natural" que um dos primeiros momentos de desconfinamento passe pela reabertura das escolas.

Na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, esta sexta-feira, o primeiro-ministro recordou que, uma vez que a decisão sobre o encerramento das escolas foi a última a ser tomada pelo Governo, a reabertura do ensino poderá ser um dos primeiros passos do desconfinamento.

Tal como já tinha afirmado em ocasiões anteriores, António Costa recordou que "como é sabido, o governo resistiu o mais que conseguiu ao encerramento de escolas", mencionando os custos elevados que o fecho de escolas trouxe à educação. O PM reconheceu ainda que o encerramento das escolas trouxe um "dos maiores pontos de desigualdade", nomeadamente devido às condições para acesso ao ensino à distância.

Embora admita que o desconfinamento possa começar pelas escolas, António Costa não definiu quando é que tal poderia acontecer.

"O único compromisso" assumido pelo PM é o da apresentação do plano de desconfinamento a 11 de março. E, mesmo nessa data, só tendo em conta as "condições objetivas" que se verifiquem na altura é que poderão ser tomadas as decisões.

António Costa indicou que o desconfinamento será "gradual, progressivo, será diferenciado em função de setores de atividade". Costa admite também a possibilidade de diferentes fases, "porventura em função de localizações, como já vigorou num certo período de tempo"

Mas, por agora, é importante manter tudo como agora. "Nos próximos 15 dias é preciso manter tudo como temos feito até agora", frisou Costa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de