Licenças de construção caem 2,2% até setembro

O consumo de cimento mantém tendência de crescimento. Desde o início do ano, aumentou 10,4%.

A emissão de licenças de construção nova e de reabilitação de edifícios habitacionais caiu 2,2% nos primeiros nove meses deste ano face ao período homólogo de 2019, avança a Síntese Estatística da Habitação da AICCOPN (Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas). Segundo o documento, esta quebra reflete uma variação negativa de 0,1% na construção nova e um decréscimo de 9,2% na reabilitação.

Já no terceiro trimestre deste ano, a emissão de licenças de construção nova e de reabilitação de edifícios para habitação aumentou 12,2% face ao trimestre anterior, justificado pelo crescimento de 10,7% nas licenças de construção nova e de 18,3% na reabilitação.

O licenciamento de fogos em construções novas registou uma quebra de 2,3% no acumulado dos nove primeiros meses do ano face a igual período de 2019. A variação trimestral foi positiva em 1,9%.

Cimento em alta

O consumo de cimento no terceiro trimestre apresentou um aumento homólogo de 11,7%. Desde o início o ano, já foram consumidos 2,7 milhões de toneladas, um incremento de 10,4% em termos homólogos.

Nos primeiros nove meses do ano, foram concedidos 8,1 mil milhões de euros de crédito para aquisição de casa, o que corresponde a um acréscimo de 6,9% face a igual período de 2019.

Em setembro, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito da concessão de crédito à habitação, manteve-se em 1.128 euros/m2, valor igual ao observado no mês anterior, mas que traduz uma subida de 5,8% comparado com setembro de 2019.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de