Lista de concelhos de risco pode encolher já neste fim de semana

Conselho de Ministros vai avaliar evolução da pandemia na reunião desta sexta-feira e se houver consenso no Governo podem ser retirados concelhos.

O primeiro-ministro admitiu retirar da lista de risco elevado os concelhos que apresentam uma diminuição de casos, tendo em conta o critério definido pelas autoridades.

"Tal como aconteceu no fim de semana passado, os concelhos que tiveram uma evolução positiva e que já não estão com 240 novos casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias possam sair deste quadro de medidas restritivas", indicou António Costa quando questionado sobre a declaração do Presidente da República à saída da reunião do Infarmed.

Na altura, Marcelo Rebelo de Sousa indicou que a renovação do estado de emergência entraria em vigor no dia 24 de novembro, mas que algumas medidas poderiam já ser aplicadas neste fim de semana.

"O projeto de decreto que o Presidente da República apresentou à Assembleia da República prevê que entre em vigor às 00H00 do dia 24 de novembro e não antes", começou por indicar o primeiro-ministro, insistindo que "as medidas que estão previstas serão para entra em vigor nessa data", afirmou na conferência de imprensa que se seguiu à reunião do Conselho Europeu por videoconferência.

"Se houver consenso aplicaremos a mesma regra porque não queremos impor a ninguém medidas que não sejam estritamente necessárias", explicou António Costa.

No fim de semana de 14 e 15, as medidas de recolher obrigatório e de circulação mais apertada a partir das 13 horas foi aplicada a 114 concelhos consideradas de elevado risco, dos 121 iniciais. Da lista negra saíram os concelhos de Batalha, Mesão Frio, Moimenta da Beira, Pinhel, São João da Pesqueira, Tabuaço e Tondela.

A lista foi alargada para 191 concelhos no dia 16 de novembro, com mais 77 municípios.

Consulte o mapa do seu concelho consoante os novos casos registados nos últimos 14 dias.

O Presidente da República ​​​​​​enviou nesta quinat-feira para a Assembleia da República o projeto de decreto que pede a renovação do estado de emergência.

"É indispensável renovar o estado de emergência, para que certas medidas restritivas possam ser também renovadas, mas mais adaptadas à experiência da realidade e mais diferenciadas em função da situação e heterogeneidade em cada município, esperando-se que possam em breve produzir efeitos positivos", lê-se no texto da proposta enviada para apreciação dos deputados na manhã desta sexta-feira.

O projeto prevê a possibilidade de encerrar empresas, o internamento compulsivo e a limitação a saídas do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Notícia atualizada às 21h30

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de