Preços das casas continuam resilientes à pandemia

Desde o início do ano, regista-se um aumento de mais de 3% no preço médio de venda de apartamentos em Lisboa e Porto.

"Não obstante a continuação da situação pandémica em Portugal, os preços do imobiliário no segmento residencial continuaram resilientes em Portugal", conclui a Casafari no seu relatório de análise do mercado imobiliário do terceiro trimestre de 2021 divulgado esta quinta-feira.

A plataforma, que agrega uma base de dados imobiliária que cobre todas as classes de ativos em Portugal, Espanha, Itália e França, revela que o preço médio de venda de apartamentos no distrito de Lisboa subiu 3,4% desde o início do ano e que no Porto esse aumento atingiu os 3,8%.

Mas os maiores incrementos dos preços médios de venda de apartamentos foram Aveiro, onde se registou uma subida de 7,4%, Braga (5,9%) e Évora e Madeira (ambos com 5,5%).

Já no que se refere a moradias, os preços médios de venda nos distritos de Lisboa e Porto aumentaram 8,5% e 2,1%, respetivamente.

Lisboa destaca-se como um dos distritos com um dos maiores aumentos dos preços de moradias, mas é Évora que lidera o ranking, apresentando uma subida de 10%. O distrito de Beja também regista um dos maiores incrementos, com um crescimento de 7,5% no preço.

No que se refere ao mercado de arrendamento, o distrito de Lisboa apresenta uma subida de 0,4% no preço médio e o Porto de 2,2%.

A Casafari adianta ainda que Portalegre, Guarda e Viana do Castelo foram os distritos de Portugal com os maiores aumentos dos preços médios de arrendamento de apartamentos, entre os 12,6% e os 7,2%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de