Neves-Corvo. Suspensas obras de expansão para produção de zinco

A companhia suspendeu as obras com o objetivo de reduzir o risco de exposição das comunidades locais, funcionários e empreiteiros ao novo coronavírus.

A companhia sueco-canadiana Lundin Mining suspendeu as obras e atividades do projeto de 260 milhões de euros para expandir a produção de zinco na mina de Neves-Corvo, no Alentejo, devido à pandemia de Covid-19.

Em comunicado enviado à agência Lusa, a Lundin Mining, dona da empresa Somincor, a concessionária da mina de Neves-Corvo, no concelho de Castro Verde, distrito de Beja, refere que "as atividades de construção e comissionamento diretamente relacionadas com o Projeto de Expansão do Zinco" (PEZ) no complexo mineiro "foram temporariamente suspensas".

Segundo a presidente da Lundin Mining, Marie Inkster, citado no comunicado, a companhia suspendeu as atividades do PEZ "com o objetivo de reduzir o risco" de exposição das comunidades locais, funcionários e empreiteiros ao novo coronavírus.

"Como a força de trabalho do projeto inclui muitos trabalhadores de empreiteiros que viajam de outras regiões de Portugal e de outros destinos internacionais, o risco é que o vírus possa ser levado para a região do Alentejo por pessoas que viajam para trabalhar no projeto", explicou Marie Inkster.

A saúde e a segurança de comunidades locais, funcionários e empreiteiros são "da maior importância" e, por isso, a companhia suspendeu as obras e atividades do PEZ para "reduzir os riscos para estes e o risco de disrupção significativa para o negócio", referiu Marie Inkster.

A companhia frisa que está a avaliar os impactos da suspensão temporária do PEZ nos prazos e no orçamento e "fornecerá uma atualização assim que estejam concluídas as avaliações".

A Lundin Mining refere que "tem a saúde e a segurança como prioridade" e todas as suas operações estão a responder à covid-19 no âmbito do plano de resposta da companhia à pandemia e das recomendações e dos requisitos das autoridades de saúde.

Todas as operações e escritórios da Lundin Mining implementaram planos de restrição de viagens não críticas, limitaram os visitantes externos e mantêm apenas os considerados críticos para o negócio e instruíram os funcionários e empreiteiros que tenham tido contacto ou exposição acidental com alguém diagnosticado com covid-19 e os que efetuaram viagens internacionais a ficar em casa por 14 dias e independentemente de terem ou não sintomas.

A Lundin Mining e as suas operações estão a monitorizar e a implementar medidas para assegurar a continuidade do negócio e mitigar e minimizar potenciais impactos da pandemia que possam surgir nas operações, cadeia de abastecimento e atividades comerciais e financeiras.

Até hoje, "não se registou qualquer impacto significativo na produção ou na expedição de concentrado" e "não foi registada qualquer perturbação significativa na cadeia de abastecimento" das operações da Lundin Mining devido à pandemia de covid-19, refere a companhia.

Segundo Marie Inkster, a Lundin Mining está "numa posição financeira forte, com um excelente balanço e operações de alta qualidade" e "bem posicionada para manter a estabilidade" e continuará "a trabalhar proativamente para proteger a saúde" da companhia, dos parceiros e das comunidades locais "enquanto navegamos neste tempo de incerteza".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de