Novas etiquetas energéticas chegam às lojas a 1 de março

A nova etiqueta pretende ajudar a identificar mais facilmente os eletrodomésticos mais eficientes

As novas etiquetas energéticas, mais simples e com um regresso à escala de A a G, estão disponíveis ao consumidor já a partir de 1 de março. Em comunicado conjunto, a Deco Proteste e a ADENE - Agência para a Energia explicam que as novas etiquetas vão estar disponíveis em equipamentos como frigoríficos, máquinas de lavar e televisores, entre outros, à venda em lojas físicas ou online. Quanto às lâmpadas, só a partir de 1 de setembro é que passarão a usar, também esta nova etiqueta energética.

A principal novidade da nova etiqueta energética é que a escala de classes de eficiência energética regressa à sua forma original, de A (mais eficiente) a G (menos eficiente). Pelo caminho ficaram as classes A+, A++ e A+++. "Nesta mudança os procedimentos de ensaio e de cálculo da eficiência energética de alguns produtos foram revistos, as classes energéticas da antiga etiqueta foram reescalonadas e a etiqueta tem um novo grafismo", destaca o comunicado, que acrescenta: "Outra inovação é a existência de um código QR na etiqueta que direciona o consumidor para a Base de Dados de Produtos Europeia e pictogramas, novos ou revistos, com mais informações sobre o desempenho e as características específicas dos produtos".

A nova etiqueta é obrigatória para os televisoresm frigoríficos e arcas congeladoras, máquinas de lavar loiça, roupa e de lavar e secar. A partir de setembro seguem-se as lâmpadas LED e os restantes equipamentos só mais tarde. Para a Deco, a medida A medida beneficia os consumidores porque lhes permite a escolha de um produto ou equipamento com melhor desempenho energético, poupando eletricidade. "Além disso, com a nova medida, a União Europeia promove a corrida para a inovação tecnológica. Os fabricantes terão de se esforçar por desenvolver equipamentos mais eficientes do que os atuais, de modo a alcançar a classe A", defende a associação.

A implementação da nova etiqueta energética contou com o apoio dos projetos BELT (Boost Energy Label Take Up) e LABEL2020, financiados pela União Europeia ao abrigo do programa "Horizonte 2020, e que visam ainda a "adoção de produtos mais eficientes" ao nível europeu. Em Portugal, a Deco Proteste é a responsável pela implementação do projeto Belt, em colaboração com a Worten, enquanto a ADENE é a entidade responsável pelo LABEL2020.

Obtenha aqui mais informações sobre as alterações da etiqueta de cada grupo de produto, assim como sobre o impacto energético e ambiental de cada escolha. Já aqui poderá encontrar, em breve, uma ferramenta que apoiará o consumidor na utilização da nova etiqueta., promete a ADENE.>

Para 4 de março, às 18h30, está agendado um webinar organizado pela Agência Nacional de Energia, com a participação da Deco Proteste, sobre as mudanças e vantagens da nova etiqueta. Será transmitido em direto no Facebook da ADENE e contará com uma espaço reservado a perguntas e respostas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de