Novo máximo histórico: 121 mil portugueses emigraram em 2012

ng3096757

Mais de 121 mil portugueses abandonaram o país em 2012, um novo máximo histórico. Há mais de 40anos, desde 1966, quando 120.239 portugueses emigraram, que não se registava um valor tão elevado.

A crise económica e o desemprego levaram 121.418 cidadãos a emigrarem no ano passado, segundo os dados divulgados na terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Por dia saíram 332 pessoas do país, por semana foram 2.334 e por mês, 10,118 pessoas rumaram a outros destinos.

No espaço de apenas um ano, entre 2011 e 2012, saíram mais 20 mil portugueses do país, um crescimento de 17% a partir dos 100,978 emigrantes do ano anterior.

Leia também: Portugueses estão a emigrar menos para a Europa. Preferem países a crescer

A maioria das saídas em 2012 – 69,460 indivíduos ou 57% do total – correspondem a emigrantes temporários, que saíram por um período superior a três mese, mas inferior a um ano. Os emigrantes chamados permanentes, que saíram por um período igual ou superior a um ano, correspondem a 43% ou 51,958 indivíduos.

O ano de 2012 superou assim 1966 como aquele em que mais portugueses abandonaram o país. Por outro lado, 1983 marca o ano em que menos indivíduos saíram, com apenas 13,680 registos, seguido por 1986 com 13,690 saídas.

No ano passado, a maioria dos emigrantes saiu rumo a países da União Europeia, 63%, com os restantes 37% a rumarem para países terceiros.

Segundo as estatísticas demográficas do INE, Portugal está também a envelhecer a um ritmo alarmante. Em 2012, registaram-se apenas 89,841 nascimentos, menos 25% do que o registado no ano 2000 quando nasceram 120 mil pessoas.

A par do menor número de nascimentos, os óbitos estão a aumentar. Desde 2000 que o número de óbitos aumentou 2%, de 105,364 para 107,612. Sendo de assinalar que, no ano passado, a maioria dos óbitos, 68,8%, ocorreu em indivíduos com idade igual ou superior a 75 anos.

Outros dados do INE assinalam também as várias mudanças a ocorrerem na sociedade portuguesa.

Os portugueses casam-se cada vez menos. Desde 2000 que o número de matrimónios está a cair a pique. Nesse ano registaram-se mais de 63 mil casamentos face aos 34 mil do ano passado, o que representou uma quebra de 54% em apenas 12 anos.

Em sentido contrário seguem os divórcios, que subiram 25% entre 2000 e 2012, dos 19,104 para os atuais 25,380.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Congresso APDC

“Temos um responsável da regulação que não regula”

Congresso APDC

Governo. Banda larga deve fazer parte do serviço universal

Outros conteúdos GMG
Novo máximo histórico: 121 mil portugueses emigraram em 2012