O que muda na eletricidade a partir de hoje?

Os comercializadores de eletricidade têm até março para decidirem se vão praticar condições de preço regulado.

As famílias e pequenos negócios que já estão no mercado livre de eletricidade vão poder regressar à tarifa regulada anualmente pela ERSE (que define uma queda de 0,2% nos preços em 2018), o que até agora era impossível. Para isso existem duas hipóteses: ou se mantêm no mesmo fornecedor (se este decidir aplicar o novo regime) ou voltam a ser clientes do único fornecedor que opera no mercado regulado: a EDP - Serviço Universal.

Quem terá tarifas equiparadas às reguladas?

A EDP Comercial já avisou que não terá esta oferta e que aumentará os seus preços em média em 2,5%, em 2018. A Endesa anunciará amanhã, 2 de janeiro, a sua decisão e o tarifário para o próximo ano. A Iberdrola optou por reduzir os preços em 2,4% e a Goldenergy já anunciou que oferecerá aos clientes tarifas equiparadas.

Que regras definem o regresso ao mercado regulado?

Os comercializadores de eletricidade têm até março para decidirem se vão praticar condições de preço regulado. Se sim, têm um prazo de dez dias úteis para responderem aos clientes que solicitarem o acesso a esta nova tarifa. Se não, devem informar os clientes por escrito, o que permitirá que cessem contrato. Caso optem por mudar, os clientes não podem ser penalizados se tiverem contratado serviços duais (gás e eletricidade).

O que muda nas faturas da luz?

Outra novidade é que nas faturas enviadas aos consumidores por todos os comercializadores em regime de mercado livre “deve ser colocado o valor da diferença entre o preço praticado em regime de mercado e a nova tarifa equiparada ou regulada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de