Europa

OCDE. Crescimento económico desacelera na zona euro

Os indicadores de inflexão no ciclo económico situaram-se em 99,8 pontos em junho, abaixo do nível de 100 que marca a média de longo prazo.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) anunciou esta quarta-feira que detetou sinais de desaceleração do crescimento económico no conjunto dos seus Estados-membros, bem como na zona euro.

Os indicadores compósitos da OCDE, que refletem por antecipação inflexões no ciclo económico, demonstram que estes se situaram na OCDE em 99,8 pontos em junho, abaixo do nível de 100 que marca a média de longo prazo e menos uma décima do que em maio.

Na zona euro, os indicadores de junho também baixaram uma décima, para 99,9 pontos, a mesma descida e o mesmo nível que nas sete principais economias do mundo (Canadá, França, Japão, Alemanha, Itália, Reino Unido e Estados Unidos).

No Canadá (99,7), França (99,7), Alemanha (100,1), Itália (100,1) e no Reino Unido (99) os respetivos indicadores caíram uma décima e na OCDE registou-se uma inflexão no crescimento, enquanto no Japão (99,8) e nos Estados Unidos (100) os indicadores apresentam um crescimento estável.

Entre as principais economias emergentes, o organismo avançou uma inflexão do crescimento no Brasil e na Rússia, com decréscimos de duas e uma décima, para 103,3 e 100,4 pontos, e uma consolidação do crescimento na China (99,8) e na Índia (101,4), com acréscimos de quatro e duas décimas, respetivamente.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: direitos reservados

RGPD. Um ano depois, mercado português pede maturidade e legislação

Certificados

Famílias investiram uma média de 3,3 milhões por dia em certificados este ano

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa (C), durante a cerimónia militar do Instituto Pupilos do Exército (IPE), inserido nas comemorações do 108.º aniversário da instituição, em Lisboa, 23 de maio de 2019.  ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Marcelo: “Quem não for votar, depois não venha dizer que se arrepende”

Outros conteúdos GMG
OCDE. Crescimento económico desacelera na zona euro