défice

OE 2016. Costa confiante que Portugal terá défice inferior a 2,5%

O primeiro-ministro, António Costa.
Fotografia: Homem de Gouveia/Lusa
O primeiro-ministro, António Costa. Fotografia: Homem de Gouveia/Lusa

O primeiro-ministro manifestou-se hoje confiante que o défice deste ano, "com conforto", será inferior a 2,5%.

O primeiro-ministro manifestou-se hoje confiante que o défice deste ano, “com conforto”, será inferior a 2,5%, num discurso em que afirmou que o seu Governo, “depois do tempo das urgências”, entrou agora na resposta aos bloqueios estruturais.

Posições assumidas por António Costa na abertura do primeiro debate quinzenal da presente legislatura, na Assembleia da República, ocasião que aproveitou para destacar as previsões de várias instituições internacionais em relação ao processo de redução do défice em 2016 em Portugal.

Na sua intervenção, o primeiro-ministro referiu que o défice deste ano “ficará claramente abaixo dos 3% do Produto Interno Bruto”.

“E que com conforto estamos confiantes será inferior a 2,5%. Prometemos uma alternativa que respeitasse o nosso programa, as posições da maioria que apoia o Governo e os compromissos internacionais do nosso país – e é isso que estamos a cumprir, contrariando todos os catastrofismos semanais de quem já mais nada tem para dar, do que esperar o falhanço do país”, disse, aqui numa alusão crítica ao PSD e CDS-PP.

Após um breve balanço sobre dez meses de vida do seu executivo, António Costa referiu que o seu Governo “não está conformado”.

“Sabemos que ainda há muito a fazer. Depois do tempo das urgências, é agora o tempo de vencer os bloqueios estruturais ao nosso desenvolvimento”, disse, apontando então os pilares do Programa Nacional de Reformas.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A administradora delegada da Media Capital, Rosa Cullell (E), acomapnhada pelo CEO da Altice Media, Alain Weill (2-E), do CEO do Grupo Altice, Michel Combes (2-D), e do Chairman e CEO da Portugal Telecom, Paulo Neves (D), fala durante uma conferência de imprensa sobre a compra da Altice sobre o grupo Media Capital,. Fotografia: ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

Compra da TVI pelo Meo pode “criar entraves significativos à concorrência”

O ministro das Finanças, Mário Centeno (E), acompanhado por Carlos Tavares (D), antigo presidente da CMVM, durante a sessão de apresentação pública do relatório do Grupo de Trabalho para a Reforma do Modelo de Supervisão Financeira. (ANDRÉ KOSTERS/LUSA)

Belém e Parlamento terão de validar novo governador do Banco de Portugal

Cristina Casalinho, presidente do IGCP. Fotografia: Diana Quintela/Global Imagens

Casalinho quer alongar pagamento da dívida para evitar picos de reembolsos

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
OE 2016. Costa confiante que Portugal terá défice inferior a 2,5%